EU E A PILHA DE MULHERES MORTAS: RESSIGNIFICAÇÃO DE IDENTIDADES FEMININAS EM MULHERES EMPILHADAS (2019), DE PATRÍCIA MELO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v17i30.28081

Palavras-chave:

estratégias de narrativa, literatura brasileira contemporânea, literatura de autoria feminina, pós-modernidade, violência contra a mulher.

Resumo


No contexto de uma América Latina pós-moderna, representações artísticas produzidas por mulheres buscam romper com discursos sacralizados pela tradição do cânone ocidental, principalmente em relação às identidades femininas. Em Mulheres empilhadas (2019), Patrícia Melo mobiliza categorias como “mulher” e “violência” para pensar na sociedade brasileira como partícipe de um sistema moderno colonial de gênero. Nesse sentido, pretendemos explicitar e analisar as estratégias narrativas utilizadas pela autora, com destaque à diversidade de formas discursivas e ao posicionamento da protagonista, em direção à expansão das potencialidades da literatura de autoria feminina. Partimos  de teorias feministas de cunho decolonial; portanto, autoras como Zilá Bernd (1998), Tânia Pellegrini (2001), Zulma Palermo (2005), María Lugones (2014) e Florencia Garramuño (2014) fundamentam as discussões propostas.

Biografia do Autor

Paula Grinko Pezzini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Mestranda em Letras (2021-2023) pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, com área de concentração em Linguagem e Sociedade e linha de pesquisa em Linguagem literária e interfaces sociais: estudos comparados. Orientanda da Profa. Dra. Lourdes Kaminski Alves.

Lourdes Kaminski Alves, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutora em Literatura Comparada e Teoria Literária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), pós-doutora em Letras: Cultura e Contemporaneidade pelo Programa de pós-graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), pós-doutora em Letras pelo Programa de pós-graduação em Letras Neolatinas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora Associada da UNIOESTE, onde atua nos cursos de graduação e da pós-graduação em Letras nas áreas de Literatura e Estudos Comparados, Literatura e Dramaturgia, Abordagens Contemporâneas da Crítica Literária e Estudos Pós-Coloniais.

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

GRINKO PEZZINI, P.; KAMINSKI ALVES, L. EU E A PILHA DE MULHERES MORTAS: RESSIGNIFICAÇÃO DE IDENTIDADES FEMININAS EM MULHERES EMPILHADAS (2019), DE PATRÍCIA MELO. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 17, n. 30, p. 196–210, 2022. DOI: 10.48075/rlhm.v17i30.28081. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/28081. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ: FEMINISMOS E LITERATURAS