EM NOME DA TERRA: UM ESTUDO SOBRE OS SENTIDOS DA TERRA PARA OS GUARANI NHANDÉVA

Autores

  • Erneldo Schallenberger
  • Jovane Gonçalves dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.48075/rtc.v21i41.11019

Palavras-chave:

Indígenas, Território, Guarani, Oeste do Paraná

Resumo


Este artigo é produto de pesquisa etnográfica realizada na aldeia Tekohá Añetete, Oeste do Paraná. Busca demonstrar a relação que os indígenas Guarani, pertencentes ao subgrupo Nhandéva, estabelecem com a terra e com o território onde vivem. Nessa cultura, a terra, os rios, as montanhas, as matas não são apenas elementos geográficos; são entes vivos, dotados de poderes e espíritos. A existência de tal saber motiva relações peculiares desses sujeitos com o espaço que os rodeia; tais particularidades foram, ao longo da história, ignoradas pelas frentes colonizadoras da região. O artigo vem, portanto, dar visibilidade aos sentidos e aos saberes indígenas que, até agora, foram desprezados ou pouco considerados pelas sociedades “brancas”.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

SCHALLENBERGER, E.; DOS SANTOS, J. G. EM NOME DA TERRA: UM ESTUDO SOBRE OS SENTIDOS DA TERRA PARA OS GUARANI NHANDÉVA. Tempo da Ciência, [S. l.], v. 21, n. 41, p. 45–68, 2000. DOI: 10.48075/rtc.v21i41.11019. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/tempodaciencia/article/view/11019. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos