COMPADRIO, CASAMENTO E ESPAÇO EM ZONA DE FRONTEIRA AGRÍCOLA: REDES SOCIAIS DA ELITE RURAL DE PIRANGA (MINAS GERAIS, C1760 C1850)

Autores

  • Mateus Rezende Andrade

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v19i2.12382

Resumo


Este trabalho analisa a mútua ingerência entre o matrimônio e o compadrio entre membros de uma elite rural de Minas Gerais. Defende-se que estas duas práticas relacionais oferecem importantes chaves para compreensão das hierarquias sociais, da mobilidade sócio-espacial e enraizamento social. Como resultados, notou-se que através de casamentos com importantes famílias, indivíduos de outras regiões galgavam ascensão social e econômica através da inserção nos principais círculos relacionais da localidade em estudo. Por fim, perceberam-se importantes diferenças intergeracionais na prática do compadrio, a qual demonstra a importância em analisar esta prática conjuntamente ao ciclo vital.

Downloads

Publicado

18-02-2016

Como Citar

ANDRADE, M. R. COMPADRIO, CASAMENTO E ESPAÇO EM ZONA DE FRONTEIRA AGRÍCOLA: REDES SOCIAIS DA ELITE RURAL DE PIRANGA (MINAS GERAIS, C1760 C1850). Tempos Históricos, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 235–267, 2016. DOI: 10.36449/rth.v19i2.12382. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/12382. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos