IMPORTÂNCIA E LIMITE DA DEMOCRACIA NA CULTURA POLÍTICA BRASILEIRA (1955/1964): UMA ANÁLISE A PARTIR DA TRAJETÓRIA DE JOSÉ MARIA ALKMIN

Autores

  • Laurindo Mekie PEREIRA

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v21i1.15607

Resumo


Neste artigo proponho uma reflexão sobre o lugar e a importância da democracia no interior de uma eventual cultura política brasileira. Para tratar da questão, examino as crises políticas de 1955 e 1964, ocasiões em que, respectivamente, a democracia se salvou por um golpe e foi destruída por outro. Recorto, para análise mais detida, as intervenções do deputado mineiro José Maria Alkmin, um dos mais importantes personagens do campo político que teve intensa participação nos dois momentos históricos. Liderança expressiva do PSD, Alkmin foi considerado o chefe civil do contragolpe de 1955 e foi eleito vice-presidente de Castelo Branco na eleição indireta de abril de 1964. O texto problematiza como este parlamentar se relaciona, compartilha, reproduz ou se distancia dos valores predominantes na política brasileira naquele recorte temporal. Utilizo como fontes principais os debates legislativos, a imprensa, as biografias de personagens envolvidos na arena política do período e a bibliografia concernente ao tema.

Downloads

Publicado

20-06-2017

Como Citar

PEREIRA, L. M. IMPORTÂNCIA E LIMITE DA DEMOCRACIA NA CULTURA POLÍTICA BRASILEIRA (1955/1964): UMA ANÁLISE A PARTIR DA TRAJETÓRIA DE JOSÉ MARIA ALKMIN. Tempos Históricos, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 356–384, 2017. DOI: 10.36449/rth.v21i1.15607. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/15607. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos