A FERROVIA E O VALE DO CARIRI: USOS E DISCURSOS SOBRE A CONSTRUÇÃO DA ESTRADA DE FERRO NO SUL DO CEARÁ

Autores

  • Ana Isabel Ribeiro Parente Cortez Reis
  • Ana Sara Cortez Irffi

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v20i2.15791

Resumo


Desde o final do século XIX, a região do Cariri cearense, no sul do Estado, foi apontada como espaço destacadamente fértil, com natureza pródiga e paisagens facilmente associadas a ideia de um paraíso terrestre. Seu aspecto verdejante propiciado na presença da Chapada do Araripe foi frequentemente exaltado em discursos, jornais locais e falas de intelectuais e políticos ligados ao Ceará, e ao Cariri, mais especificamente. Contudo, longe de estar restrita a esse fato, a ideia de um Cariri com paisagens sempre verdes e terrenos extraordinariamente férteis também foi forjado no âmbito de relações e disputas sociais, como a tentativa de atrair para esse espaço os trilhos da Estrada de Ferro de Baturité. Nesse sentido, os discursos que narraram o Cariri como oásis em meio a uma terra seca tem construção histórica, que perpassaram as paisagens verdes do sopé da Chapada do Araripe, mas também perpassaram as disputas pela ferrovia.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

REIS, A. I. R. P. C.; IRFFI, A. S. C. A FERROVIA E O VALE DO CARIRI: USOS E DISCURSOS SOBRE A CONSTRUÇÃO DA ESTRADA DE FERRO NO SUL DO CEARÁ. Tempos Históricos, [S. l.], v. 20, n. 2, p. 175–199, 2000. DOI: 10.36449/rth.v20i2.15791. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/15791. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos