EL MEJOR ESCUDO DE ARMAS ES EL ROLLS ROYCE: MODERNIDADE E DECADÊNCIA DE BUENOS AIRES POR EZEQUIEL MARTINEZ ESTRADA.

Autores

  • Alexandra Dias Ferraz TEDESCO

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v21i1.16172

Resumo


A proposta deste artigo é pensar o ensaio La cabeza de Goliat, publicado em 1940 pelo argentino Ezequiel Martinez Estrada, a partir da confrontação da sua percepção de uma cidade decadente e cronicamente inviável com um repertório amplo de críticas ou desconfianças da modernidade, que caracterizou sua geração e consistiu um ponto de convergência entre diversos autores seus contemporâneos. Considero que pensar esse ensaio como parte de uma crítica mais abrangente feita por grande parte do campo letrado à modernidade tal qual se apresentava na Argentina, nas décadas de 1930 e 1940, ao mesmo tempo em que pode lançar luz sobre que tipos de visões da modernidade circularam entre os intelectuais desse período, pode ajudar a identificar um espectro de circulação de ideias que conecta o diagnóstico da geração de Estrada a algumas das principais tensões que compunham a discussão do pensamento alemão que circulava na Argentina naquele contexto.

Downloads

Publicado

20-06-2017

Como Citar

TEDESCO, A. D. F. EL MEJOR ESCUDO DE ARMAS ES EL ROLLS ROYCE: MODERNIDADE E DECADÊNCIA DE BUENOS AIRES POR EZEQUIEL MARTINEZ ESTRADA. Tempos Históricos, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 210–229, 2017. DOI: 10.36449/rth.v21i1.16172. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/16172. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos