ENTRE RÉS E SUPLICANTES: AS LIBERTAS E AS DEMANDAS JUDICIAIS NA VILA DE PITANGUI (1751-1792)

Autores

  • Ana Caroline Carvalho MIRANDA Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v22i1.17888

Palavras-chave:

Libertas, Vila de Pitangui, Justiça, Sociedade.

Resumo


Este artigo tem como objeto apresentar uma breve análise sobre a presença das mulheres manumitidas na justiça local da vila de Pitangui, capitania de Minas Gerais, Brazil, no período de 1751 a 1792. Para tanto, analisaremos ações cíveis de diferentes tipologias, no intuito de compreender como se deram as manifestações jurídicas das libertas no seio da sociedade em questão, como autoras ou rés nos processos. Por meio destas fontes, é possível notar a dinâmica das relações socioeconômicas vivenciadas por elas, visto que a sua maioria é de cunho mercantil, demonstrando, assim, terem convivido com pessoas de diferentes segmentos sociais. Além disso, discorreremos sobre as relações de poder dentro do aparato burocrático.

Biografia do Autor

Ana Caroline Carvalho MIRANDA, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Downloads

Publicado

12-08-2018

Como Citar

MIRANDA, A. C. C. ENTRE RÉS E SUPLICANTES: AS LIBERTAS E AS DEMANDAS JUDICIAIS NA VILA DE PITANGUI (1751-1792). Tempos Históricos, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 305–336, 2018. DOI: 10.36449/rth.v22i1.17888. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/17888. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos