MEMÓRIA-NARRATIVA E RESISTÊNCIA NA “MANIFESTACÍON DE LOS REFUGIADOS ARGENTINOS EN BRASIL”, 1978

Autores

  • Marcos GONÇALVES Universidade Federal do Paraná.

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v22i2.18327

Palavras-chave:

ditadura brasileira, ditadura argentina, refugiados, memória, direitos humanos.

Resumo


O artigo empreende uma análise de manifesto produzido pelos refugiados argentinos no Brasil em 1978.  A partir de meados de 1977, um contingente expressivo de argentinos, uruguaios e chilenos passou a ingressar em nossos país num processo de fuga massiva das ditaduras militares que dominavam politicamente a região. Os argentinos e argentinas constituíram o grupo mais numeroso, e as condições vigentes em seu país os levaram a produzir um documento denunciador das violações de direitos humanos, que não foi conhecido publicamente no Brasil. Atribuo a essa manifestação, um caráter de resistência recoberta pela noção de memória-narrativa.

Biografia do Autor

Marcos GONÇALVES, Universidade Federal do Paraná.

Doutor em História. Professor do Departamento de História e do Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal do Paraná.

Downloads

Publicado

02-04-2019

Como Citar

GONÇALVES, M. MEMÓRIA-NARRATIVA E RESISTÊNCIA NA “MANIFESTACÍON DE LOS REFUGIADOS ARGENTINOS EN BRASIL”, 1978. Tempos Históricos, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 604–635, 2019. DOI: 10.36449/rth.v22i2.18327. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/18327. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos