UNI-VOS, COMPANHEIROS: CULTURA POLÍTICA E MILITANTES DE ESQUERDA ARMADA EM UM PRESÍDIO DA DITADURA CIVIL-MILITAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v22i2.19325

Palavras-chave:

Ditadura civil-militar, presos políticos, cultura política comunista

Resumo


O Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS), no Ceará, serviu de prisão política durante a ditadura civil-militar (1964-85). Na convivência cotidiana, os militantes da esquerda armada buscaram o apoio mútuo para atenuar as condições impostas e sobreviver dentro da estrutura carcerária da ditadura. Um sinal evidente da importância dessa solidariedade foi a organização de um coletivo de presos políticos no presídio. O coletivo organizava o dia dos excarcerados e os representava perante a direção do IPPS. A solidariedade entre os presos políticos tem vínculos com as culturas políticas comunistas nas quais estavam inseridos. Havia uma discussão no coletivo sobre a natureza do coletivo, se eminentemente político, de enfrentamento com a ditadura, ou mais voltado para as questões de melhorias de vida dentro dos cárceres.

Biografia do Autor

José Airton de FARIAS, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em História Social/Contemporânea II pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em História Social e bacharel em direito pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e licenciado em História pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Autor de mais 20 livros didáticos e paradidáticos de história, a exemplo de História do Ceará (Armazém da Cultura, 2014).

Downloads

Publicado

02-04-2019

Como Citar

DE FARIAS, J. A. UNI-VOS, COMPANHEIROS: CULTURA POLÍTICA E MILITANTES DE ESQUERDA ARMADA EM UM PRESÍDIO DA DITADURA CIVIL-MILITAR. Tempos Históricos, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 636–658, 2019. DOI: 10.36449/rth.v22i2.19325. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/19325. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos