DIVIDE ET IMPERA: A TENTATIVA DE DIVISÃO DO PARÁ E DA CRIAÇÃO DO ESTADO DE CARAJÁS (1984 – 1992)

Autores

  • Roberg Januário SANTOS Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
  • Lucilvana Ferreira BARROS Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v22i2.19512

Palavras-chave:

Carajás. Pará. Discurso. Pronunciamento. Imprensa.

Resumo


Este artigo objetiva analisar os pronunciamentos em torno da criação do Estado de Carajás no Pará, perscrutando a batalha discursiva pertinente aos primeiros anos de lançamento da proposta de criação do mencionado Estado, com especial atenção na reverberação da proposta na imprensa e na movimentação política em torno do movimento pró-Carajás. O estudo de caso carajaense contribui para a compreensão da questão das propostas de redivisão das unidades federativas brasileiras, uma vez que vários aspectos discutidos neste texto iluminam questões importantes de separatismo territorial no país. O movimento pró-emancipação do Estado de Carajás reivindicou o desmembramento da região em um estado autônomo, capaz de garantir autonomia política, apropriação das riquezas locais e a reparação histórica pelo dito esquecimento da região por parte do Estado do Pará.

 

Biografia do Autor

Roberg Januário SANTOS, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Professor do curso de História do Instituto de Estudos do Trópico Úmido – IETU, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – Unifesspa.

Lucilvana Ferreira BARROS, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Professora do curso de História do Instituto de Estudos do Trópico Úmido – IETU, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – Unifesspa.

Downloads

Publicado

02-04-2019

Como Citar

SANTOS, R. J.; BARROS, L. F. DIVIDE ET IMPERA: A TENTATIVA DE DIVISÃO DO PARÁ E DA CRIAÇÃO DO ESTADO DE CARAJÁS (1984 – 1992). Tempos Históricos, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 679–714, 2019. DOI: 10.36449/rth.v22i2.19512. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/19512. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos