SOB AS LENTES DO DOPS: A VIGILÂNCIA E A REPRESSÃO DA POLÍCIA POLÍTICA EM TORNO DAS ATIVIDADES DE DOM HÉLDER CÂMARA (1964-1985)

Autores

  • Marcio André Martins MORAES Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v23i1.20200

Palavras-chave:

Dom Hélder Pessoa Câmara, Departamento de Ordem e Política Social, Igreja Católica

Resumo


Neste artigo estabelecemos como meta analisar a criação de uma rede de vigilância por parte do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) em torno das atividades políticas e sociais de Dom Helder Pessoa Câmara, então arcebispo de Olinda e Recife, e de seus interlocutores sacerdotes no decorrer da ditadura militar no Brasil, entre os anos de 1964 a 1985. Desse modo, pretendemos discutir os meios pelos quais o referido arcebispo foi acompanhado, vigiado e utilizado pelos agentes do DOPS na elaboração de um mecanismo de reconhecimento daqueles que supostamente compunham uma rede de subversivos ligados à Igreja Católica em Pernambuco.

Biografia do Autor

Marcio André Martins MORAES, Universidade de São Paulo - USP

Graduado em licenciatura Plena em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Mestre em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e no momento doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Possuindo experiência na área de ensino e na pesquisa no campo da História, com ênfase em História do Brasil, estudando especificamente a atuação da Ação Integralista Brasileira (AIB) na cidade de Garanhuns-PE entre os anos que correspondem ao Estado Novo (1937-1945); e no momento, estudando a produção intelectual de Dom Hélder Câmara, então arcebispo de Olina e Recife, sobre o uso do termo desenvolvimento e suas variações de sentidos no decorrer de 1964 a 1985.

Downloads

Publicado

26-11-2019

Como Citar

MORAES, M. A. M. SOB AS LENTES DO DOPS: A VIGILÂNCIA E A REPRESSÃO DA POLÍCIA POLÍTICA EM TORNO DAS ATIVIDADES DE DOM HÉLDER CÂMARA (1964-1985). Tempos Históricos, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 575–601, 2019. DOI: 10.36449/rth.v23i1.20200. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/20200. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos