INDÍGENAS OPERÁRIOS: NOVAS DINÂMICAS E SIMBOLOGIAS NOS PROCESSOS DE LUTA PELA TERRA NO SUL DO BRASIL

Autores

  • João Carlos TEDESCO
  • Henrique KUJAWA

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v22i2.20496

Palavras-chave:

Indígenas, Trabalho assalariado, conflitos sociais.

Resumo


O texto analisa aspectos da experiência laboral de indígenas no mercado de trabalho externo, na forma assalariada, em particular, em frigoríficos no norte do Rio Grande do Sul e no meio-oeste de Santa Catarina.  São indígenas que estão demandando terras nessas regiões e que, como forma de pressão, organizam-se em acampamentos próximos da área agrícola em questão. A intenção do artigo é perceber as múltiplas dimensões dos recursos financeiros, obtidos com o trabalho externo, na luta pela terra e na sociabilidade do agrupamento. A pesquisa de campo foi feita diretamente em alguns frigoríficos e em alguns acampamentos das referidas regiões. Concluímos que o trabalho e os recursos externos produzem ambiguidades, tensões, adaptações, diferenciações e auxílios, na luta pela terra, na identidade indígena e na cotidianidade dos acampamentos. Revelam ser dimensões para além da lógica financeira, fruto de situações precárias de vida em múltiplos âmbitos e de estratégias de manutenção da luta social.

Biografia do Autor

João Carlos TEDESCO

doutor em ciencias sociais

Downloads

Publicado

02-04-2019

Como Citar

TEDESCO, J. C.; KUJAWA, H. INDÍGENAS OPERÁRIOS: NOVAS DINÂMICAS E SIMBOLOGIAS NOS PROCESSOS DE LUTA PELA TERRA NO SUL DO BRASIL. Tempos Históricos, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 73–100, 2019. DOI: 10.36449/rth.v22i2.20496. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/20496. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático