O POVO KARAJÁ DE ARUANÃ-GO/BRASIL: TURISMO, TERRITÓRIO E VIDA INDÍGENA

Autores

  • Lorranne Gomes DA SILVA Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Cora Coralina, Cidade de Goiás.
  • Sélvia Carneiro DE LIMA Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), câmpus Goiânia. Professora de Geografia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Inhumas/Goiás/Brasil.
  • Elias NAZARENO Pós-doutorado e Doutorado em Sociologia pela Universidade de Barcelona – UB. Professor Associado I do curso de História e do curso de Educação Intercultural Indígena da Universidade Federal de Goiás, câmpus Goiânia.

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v23i1.22264

Palavras-chave:

Povo Karajá de Aruanã-GO. Turismo. Território. Ressignificação cultural.

Resumo


O presente artigo analisa questões referentes ao turismo, o território e a vida indígena do povo Karajá que se localiza no município de Aruanã, no Estado de Goiás - Brasil.  Aruanã está inserida na Região Turística Vale do Araguaia, conjunto complexo de dinâmica do capital e diferentes interesses econômicos. Desse modo, ao considerar as apropriações dos territórios, especialmente, no que se refere as atividades turísticas, é preciso repensar sobre os distintos usos e consequências de como essas práticas são instituídas, sobretudo, quando se trata de territórios indígenas. As pesquisas apontaram que o contato interétnico e a inserção dos Karajá nas demandas mercadológicas do turismo sem planejamento adequado, culminou em ressignificações socioculturais. Esta pesquisa é qualitativa e etnográfica e foi desenvolvida a partir de levantamento bibliográfico, trabalho e caderneta de campo, observação participante, roda de conversas, registros de narrativas e imagens.

Biografia do Autor

Lorranne Gomes DA SILVA, Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Cora Coralina, Cidade de Goiás.

Pós-doutoranda pela Universidade Federal de Goiás/Faculdade de História. Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos e Pesquisas Socioambientais/IESA, câmpus Goiânia (2016). Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos e Pesquisas Socioambientais/IESA, câmpus Goiânia (2010). Graduada em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás, câmpus Cora Coralina, Cidade de Goiás (2008). Foi professora do curso Superior Licenciatura Intercultural Indígena da UFG/Goiânia de 2011 a 2013 e do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual de Goiás, câmpus de Quirinópolis, de 2010 a 2016. Atualmente é professora do curso de Bacharelado em Turismo e Patrimônio, do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Língua, Literatura e Interculturalidade e do Programa De Pós-Graduação Scricto Sensu em Geografia da Universidade Estadual de Goiás, câmpus Cora Coralina, Cidade de Goiás. Tem atuado principalmente nos seguintes temas: Comunidades Tradicionais de Goiás (Indígenas, Quilombolas, Ciganos, Camponeses, Ribeirinhos, entre outros); Povos Indígenas de Goiás (Tapuia, Karajá e Avá-Canoeiro); Geografia Cultural; Diversidade, cultura, cidadania e meio ambiente; Literatura Indígena; Geografia e Literatura; Literatura e Cultura; Turismo em Terras Indígenas; Educação Escolar Indígena; Metodologia Científica; entre outros. Atualmente participa do grupo de pesquisa do CNPQ: História indígena e História ambiental: interculturalidade crítica e decolonialidade, da Universidade Federal de Goiás, Faculdade de História, coordenado pelo professor Dr. Elias Nazareno e do Núcleo de Estudos e pesquisas agrárias e territoriais (NEPAT) da Universidade Federal de Goiás/IESA, coordenado pelo professor Manoel Calaça.

Sélvia Carneiro DE LIMA, Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), câmpus Goiânia. Professora de Geografia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Inhumas/Goiás/Brasil.

Doutora, mestre e licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Goiás. Especialização em Metodologia do ensino da Geografia para o Ensino Fundamental e Orientação Educacional. Professora de Geografia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás- Campus Inhumas. Participou da elaboração da Matriz Curricular de Geografia, para a Educação Básica,da Secretaria de Estado da Educação de Goiás-SEDUC-GO. Ex- coordenadora da Educação Escolar Indígena em Goiás. É integrante e ex-coordenadora do Grupo de pesquisa Geografia, Sujeito e Existência - Laboter/UFG, e do grupo Geografia, Literatura e Arte - USP, ambos vinculados ao CNPq. Tem experiência com ensino de Geografia, formação de professores e de Coordenadores Pedagógicos. Área de pesquisa: Território, territorialidades, cultura, Cerrado, indígena, Karajá de Goiás, literatura indígena.

Elias NAZARENO, Pós-doutorado e Doutorado em Sociologia pela Universidade de Barcelona – UB. Professor Associado I do curso de História e do curso de Educação Intercultural Indígena da Universidade Federal de Goiás, câmpus Goiânia.

Pesquisador Associado Sênior vinculado ao Laboratório e Grupo de Estudos em Relações Interétnicas (LAGERI) do Departamento de Antropologia da Universidade e Brasília (UnB) e Pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UnB. Professor Visitante da Universidade de Jujuy, Argentina. Integrante do GT de História Ambiental da ANPUH. Pós-doutorado em sociologia com bolsa do CNPq pela Universidade de Barcelona - UB (2009), graduado em História pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC-Goiás (1989), mestrado em História pela Universidade de Brasília - UnB (1995) e doutorado em Sociologia - Universidade de Barcelona - UB (2003). Atualmente é professor Associado I da Universidade Federal de Goiás, do Programa de Pós-graduação em História e do Curso de Educação Intercultural para formação de Professores Indígenas da UFG, Coordenador de Área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - Pibid/UFG e coordenador do Grupo de Pesquisa do DGP/CNPq, História indígena e História ambiental: interculturalidade crítica e decolonialidade da UFG. Foi Coordenador e professor titular do Mestrado em Desenvolvimento Regional das Faculdades ALFA (2005-2007). Professor da Universidade de Brasília no Departamento de História (1996-1998) e no Instituto de Relações Internacionais- IREL (2004-2005). Tem experiência nas áreas de Etnohistória, História, Sociologia e em Relações Internacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: integração econômica, processos de regionalização econômica, relações internacionais, políticas públicas, cooperação internacional, desenvolvimento regional e local, educação intercultural indígena, história indígena e educação quilombola.

Downloads

Publicado

26-11-2019

Como Citar

DA SILVA, L. G.; DE LIMA, S. C.; NAZARENO, E. O POVO KARAJÁ DE ARUANÃ-GO/BRASIL: TURISMO, TERRITÓRIO E VIDA INDÍGENA. Tempos Históricos, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 216–240, 2019. DOI: 10.36449/rth.v23i1.22264. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/22264. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático