O sistema de informações do Itamaraty e o monitoramento dos brasileiros exilados no Chile (1970-1973)

Autores

  • Cristiane Medianeira Ávila Dias Doutora em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v24i1.22909

Palavras-chave:

Itamaraty. Exílio. Chile.

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a criação da Divisão de Segurança e Informações do Ministério das Relações Exteriores (DSI/MRE) e do Centro de Informações do Exterior (CIEX) e as suas estruturas de funcionamento, especialmente nas ramificações desses dois órgãos de segurança que atuaram junto a Embaixada Brasileira em Santiago, entre 1970 e 1973. Cabe destacar que o clima de relativa liberdade política vivenciado no Chile, a partir da vitória de Salvador Allende nas eleições presidenciais de 1970, atraiu militantes de organizações de esquerda, não só brasileiras, como latino-americanas. Nesse cenário, a finalidade do Itamaraty com as ações dos agentes do CIEX e da DSI/MRE no país era impedir que as organizações brasileiras mantivessem vínculos entre si, estabelecessem relações com grupos ou partidos de esquerda de outros países ou com a opinião pública internacional.

Downloads

Publicado

23-10-2020

Como Citar

ÁVILA DIAS, C. M. O sistema de informações do Itamaraty e o monitoramento dos brasileiros exilados no Chile (1970-1973). Tempos Históricos, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 416–453, 2020. DOI: 10.36449/rth.v24i1.22909. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/22909. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos