Crianças listadas no livro do fundo de emancipação da escravidão na Amazônia bragantina (1876)

Autores

  • Ana Paula Vieira e Souza Universidade Federal do Pará - UFPA
  • Ketno Lucas Santiago Universidade Federal do Pará - UFPA Programa de Linguagens e Saberes da Amazônia - PPLSA

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v24i1.23493

Palavras-chave:

Escravidão, Criança, Fundo de Emancipação.

Resumo


Resumo: A pesquisa procura traçar o perfil sócio - histórico das crianças escravas, libertas pelo Fundo de Emancipação e as suas ocupações no trabalho. Balizada pela fonte histórica documental do acervo público municipal de Bragança, Estado do Pará. O registro mostra variáveis relacionadas à idade, sexo, trabalho, família e aptidão dessas crianças para o trabalho, bem como, apresenta os nomes de famílias donas de escravos, no final do século XIX, no ano de 1876. Conclui-se que o fundo de emancipação, destinou recursos do Estado para os senhores escravagistas, em troca da liberdade de escravos, devidamente amparados na Lei 2.040 de 1871, todavia muitas crianças e adultos continuavam cativos sob os cuidados de seus proprietários ou pelo Estado.

 

Palavra-Chave: Escravidão, Criança, Fundo

Biografia do Autor

Ana Paula Vieira e Souza, Universidade Federal do Pará - UFPA

Professora Doutora em Educação na Universidade Federal do Pará – UFPA e Professora do Programa de Linguagens e Saberes da Amazônia – PPLSA. Email; paulladesa@ufpa.br, Tel. (091) – 98145-1011.

Ketno Lucas Santiago, Universidade Federal do Pará - UFPA Programa de Linguagens e Saberes da Amazônia - PPLSA

Historiador, Especialista na Docência do Ensino Superior e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes da Amazônia (PPLSA/UFPA Campus Bragança), Pará.

Downloads

Publicado

23-10-2020

Como Citar

SOUZA, A. P. V. e; SANTIAGO, K. L. Crianças listadas no livro do fundo de emancipação da escravidão na Amazônia bragantina (1876). Tempos Históricos, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 536–562, 2020. DOI: 10.36449/rth.v24i1.23493. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/23493. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa