Corpos imperfeitos: as teses médicas sobre infertilidade feminina apresentadas à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro nas primeiras décadas do século XX

Autores

  • Georgiane Garabely Heil Vázquez Professora do Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Professora do Programa de Pós-Graduação em História da UEPG

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v24i2.23573

Palavras-chave:

infertilidade, medicina, mulheres, maternidade

Resumo


Este artigo buscou problematizar o saber médico acerca da infertilidade feminina nas primeiras décadas do século XX. Para isso, foram analisadas teses apresentadas à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (FMRJ) e defendidas nas cadeiras de Higiene e Ginecologia/ Obstetrícia. Em linhas gerais foi observado que além de investigações e tratamentos clínicos, a infertilidade feminina foi debatida por médicos do período como uma questão moral, que envolvia desejo e recusa feminina à maternidade.

Biografia do Autor

Georgiane Garabely Heil Vázquez, Professora do Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Professora do Programa de Pós-Graduação em História da UEPG

Doutora em História pela UFPR. Professora do departamento de história da UEPG

Downloads

Publicado

28-12-2020

Como Citar

VÁZQUEZ, G. G. H. Corpos imperfeitos: as teses médicas sobre infertilidade feminina apresentadas à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro nas primeiras décadas do século XX. Tempos Históricos, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 295–320, 2020. DOI: 10.36449/rth.v24i2.23573. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/23573. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos