Reformas nos programas sociais brasileiros: solidariedade, pobreza e controle social

Autores

  • Denise De Sordi Pesquisadora do GPEPS/CNPq/UFU. Investigadora associada ao OCVT/FCSH/UNL e ao Grupo de Investigação de História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais IHC/UNL. E-mail: denisends@me.com. https://orcid.org/0000-0003-0536-2863

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v25i1.24124

Palavras-chave:

Programa Bolsa Família, Direitos Sociais, Solidariedade, Pobreza.

Resumo


Neste artigo, analiso o processo histórico e social que forneceu substrato à formulação e desenvolvimento do Programa Bolsa Família (PBF). A análise centra-se no período de 1990 a 2014 e observa as formas pelas quais a categoria política da pobreza foi elevada como elemento de centralidade para as ações de programas sociais brasileiros. Nota-se que houve a apropriação dos significados da ideia de solidariedade social, expressa enquanto um projeto que levaria adiante uma identidade política e social de confronto, traduzindo-a em expressão da negociação e da conciliação política amparadas pelo controle social. Evidencia-se que o PBF representou a reorganização institucional dos programas sociais existentes no período de sua criação, enquanto opção política feita em adequação a outras possibilidades de ordenação das estruturas e práticas sociais. 

Biografia do Autor

Denise De Sordi, Pesquisadora do GPEPS/CNPq/UFU. Investigadora associada ao OCVT/FCSH/UNL e ao Grupo de Investigação de História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais IHC/UNL. E-mail: denisends@me.com.

Historiadora. Doutora em História Social pelo PPGHI/UFU.  Pesquisadora do GPEPS/CNPq/UFU. Investigadora associada ao OCVT/FCSH/UNL e ao Grupo de Investigação de História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais IHC/UNL. E-mail: denisends@me.com.

Downloads

Publicado

08-04-2021

Como Citar

DE SORDI, D. Reformas nos programas sociais brasileiros: solidariedade, pobreza e controle social. Tempos Históricos, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 70–106, 2021. DOI: 10.36449/rth.v25i1.24124. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/24124. Acesso em: 9 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos