O bazar corumbaense – análise das relações sociais que se estabelecem a partir do comércio de drogas ilegais na cidade de Corumbá fronteira com a Bolívia.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v25i1.24630

Resumo


A fronteira da conurbação de Corumbá-Ladário/Brasil - Puerto Quijarro/Puerto Suarez/Bolívia configura-se atualmente, segundo a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) do Brasil, como umas das três principais portas de entradas de drogas ilícitas provindas da Bolívia, Peru e Colômbia.  Este artigo tem como objetivo demonstrar a formação, a estruturação do comércio de drogas ilícitas no varejo na cidade de Corumbá, a partir do trabalho etnográfico realizado entre os anos de 2010- 2014.

Biografia do Autor

Giovanni França Oliveira, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2010), mestre em Estudos Fronteiriços pela UFMS(2013). Pesquisador Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Ensino de História (GEPEH-UFMS), Pesquisador do Observatório da Violência e Sistema Prisional- UFMS. atualmente é doutorando em História pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Atua principalmente nos seguintes temas: Ensino de História, História Regional, violência e Fronteiras.

Downloads

Publicado

04-06-2021

Como Citar

OLIVEIRA, G. F. O bazar corumbaense – análise das relações sociais que se estabelecem a partir do comércio de drogas ilegais na cidade de Corumbá fronteira com a Bolívia. Tempos Históricos, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 256–285, 2021. DOI: 10.36449/rth.v25i1.24630. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/24630. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos