Disputas eleitorais e lideranças operárias no início da Primeira República: o perfil social e a votação de membros do Partido Operário do Paraná (1890-1896)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v25i1.25173

Palavras-chave:

Competição eleitoral, lideranças operárias, partidos políticos

Resumo


Neste artigo é desenvolvida uma investigação acerca do perfil social e do desempenho eleitoral de integrantes do Partido Operário do Paraná (POPR), em um período que abrange os anos de 1890 a 1896. Por meio de um estudo de caso, o objetivo desta análise é avançar no entendimento sobre a organização interna e a ação eleitoral dos partidos operários que surgiram no Brasil do início da Primeira República. Há três argumentos sustentados neste artigo. Primeiro, é demonstrado que o POPR era comandado por políticos veteranos que, no fim do Segundo Reinado, possuíam baixa projeção no cenário partidário paranaense. Segundo, cabe evidenciar que essa agremiação não possuía relevante força eleitoral. Terceiro, é ressaltado que foi breve a aliança entre os fundadores dessa grei. Em meados dos anos 1890, eles já se encontravam politicamente afastados.              

Biografia do Autor

Sandro Aramis Richter Gomes, Universidade Federal do Paraná

Graduado (2009), mestre (2012) e doutor (2017) em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente realiza estágio de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da UFPR.

Referências

ALVES, Alessandro. A Província do Paraná (1853-1889): a classe política, a parentela no Governo. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2014.

ARAÚJO, Sílvia; CARDOSO, Alcina. Jornalismo e militância operária. Curitiba: Ed. da UFPR, 1992.

BEGA, Maria Tarcisa Silva. Letras e política no Paraná: simbolistas e anticlericais na República Velha. Curitiba: Ed. da UFPR, 2013.

BIELINSKI, Alba Carneiro. Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro: dos pressupostos aos reflexos de sua criação, de 1856 a 1900. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2003.

BILHÃO, Isabel. Rivalidades e solidariedades no Movimento Operário (Porto Alegre, 1906-1911). Porto Alegre: Ed. da PUC-RS, 1999.

CARNEIRO, Newton. Um precursor da justiça social: David Carneiro e a economia paranaense. Curitiba: s/e, 1965.

CARONE, Edgard. O Movimento Operário no Brasil (1877-1944). São Paulo: Difel, 1979.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial/Teatro das sombras: a política imperial. 3ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

CASTELLUCCI, Aldrin. Trabalhadores, máquina política e eleições na Primeira República. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2008.

CASTRO, Celso. Os militares e a República. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

CHACON, Vamireh. História dos partidos brasileiros. Brasília: Ed. da UnB, 1981.

CHARLE, Christophe. A prosopografia ou biografias coletivas: balanço e perspectivas. In: HEINZ, Flávio (Org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006, p. 41-54.

CHAVES, Maria; VARGAS, Túlio. Sérgio de Castro. Curitiba: Lítero-Técnica, 1987.

CORRÊA, Amélia Siegel. Imprensa e política: prosopografia dos redatores e pensamento republicano no final do século XIX. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2006.

DOMINGUES, Petrônio. Minervino de Oliveira: um negro comunista disputa a Presidência do Brasil. Lua Nova, São Paulo, v. 101, p. 13-51, 2017.

FABRIS, Pamela Beltramin. Agostinho Leandro da Costa: noções de cidadania e direito no imediato pós-abolição em Curitiba. In: Anais do 9º Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. Florianópolis: s/e, 2019, p. 1-14.

FAUSTO, Boris. Trabalho urbano e conflito social: 1890-1920. São Paulo: Difel, 1976.

FERREIRA, Marieta de Moraes. Em busca da Idade de Ouro: as elites políticas fluminenses na Primeira República (1889-1930). Rio de Janeiro: Editora da Universidade Federal do Rio de Janeiro/Edições Tempo Brasileiro, 1994.

FIGUEIREDO, Vítor Fonseca. Voto e competição política na Primeira República: o caso de Minas Gerais. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2016.

FONSECA, Ricardo Marcelo; GALEB, Marcelo. A Greve Geral de 1917 em Curitiba: a reconstituição da Memória Operária. Curitiba: Factum, 2017.

GOULART, Mônica Helena Harrich Silva. Classe dominante e jogo político na Assembleia Legislativa Paranaense (1889-1930). Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

KAREPOVS, Dainis. A classe operária vai ao Parlamento: o Bloco Operário Camponês do Brasil (1924-1930). São Paulo: Alameda, 2006.

LINHARES, Hermínio. Contribuição à história das lutas operárias no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega, 1977.

LOBO, Eulália Maria Lahmeyer. Rio de Janeiro operário. Rio de Janeiro: Acces, 1992.

LONER, Beatriz. Construção de classe: operários de Pelotas e Rio Grande (1888-1930). Pelotas: Ed. da UFPEL, 2001.

MACEDO, Joaquim Manuel de. Anno Biographico Brazileiro. Vol. 1. Rio de Janeiro: Tipografia do Imperial Instituto Artístico, 1876.

NICOLAU, Jairo. As eleições no Brasil: do Império aos nossos dias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2012.

_____. História do voto no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

OLIVEIRA, Ricardo Costa de. O silêncio dos vencedores: genealogia, classe dominante e Estado do Paraná (1853-1930). Curitiba: Moinho do Verbo, 2001.

PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda. A dança da política: trabalhadores, associativismo recreativo e eleições no Rio de Janeiro da Primeira República. In: Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 37, n. 74, p. 63-88, 2017.

PETERSEN, Silvia Regina Ferraz. Que a União Operária seja a nossa pátria: história das lutas dos gaúchos para construir suas organizações. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2001.

PRADO, Carlos Batista. Partidos e Sindicatos: o PCB, a Oposição de Esquerda e o movimento operário no Brasil (1922-1936). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2019.

SACCOL, Tassiana Maria Parcianello. De líderes históricos a opositores: as dissidências republicanas e o jogo político regional (Rio Grande do Sul, 1890-1907). Tese (Doutorado em História) – Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018.

SAMPAIO, Consuelo Novais. Partidos políticos da Bahia na Primeira República. 2ª ed. Salvador: Ed. da UFBA, 1999.

SANTOS, Antônio Vieira dos. Memória Histórica, Cronológica e Descritiva da Vila de Morretes. Curitiba: Museu Paranaense, 1950.

SAYÃO, Thiago Juliano. As heranças do Rosário: associativismo operário e o silêncio da identidade étnico racial no pós-abolição. Laguna (SC). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 35, n. 69, p. 131-154, 2015.

SCHMIDT, Benito Bisso. Em busca da terra da promissão. Porto Alegre: Palmarinca, 2004.

_____. Os partidos socialistas na nascente República. In: FERREIRA, Jorge; REIS, Daniel Aarão. A formação das tradições (1889-1945). Vol. 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, p. 131-183.

_____. Um socialista no Rio Grande do Sul: Antônio Guedes Coutinho (1868-1945). Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2000.

SÊGA, Rafael. Tempos belicosos: a Revolução Federalista no Paraná e a rearticulação da vida político-administrativa do Estado (1889-1907). Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2005.

SILVA, Inocêncio Francisco da. Diccionario Bibliographico Portuguez. Tomo 9. Lisboa: Imprensa Nacional, 1870.

SIMAS, Hugo. Paranaguá e a República. Curitiba: Edição Dicesar Plaisant, 1940.

STONE, Lawrence. Prosopografia. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 19, n. 39, p. 115-137, 2011.

TORRES, João Camilo de Oliveira. Democracia coroada: teoria política do Império do Brasil. Brasília: Edição da Câmara dos Deputados, 2017.

VANALI, Ana Christina. “Ao povo paranaense”: a vida do cidadão Manoel Correia de Freitas. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2017.

VASCO, Edimeri Stadler. A cultura do trabalho em Curitiba de 1890 a 1920. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2006.

VERNALHA, Milton Miró. Da Monarquia à República. Curitiba: Lítero-Técnica, 1989.

Downloads

Publicado

27-07-2021

Como Citar

RICHTER GOMES, S. A. Disputas eleitorais e lideranças operárias no início da Primeira República: o perfil social e a votação de membros do Partido Operário do Paraná (1890-1896). Tempos Históricos, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 413–453, 2021. DOI: 10.36449/rth.v25i1.25173. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/25173. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos