Carlos Diegues, entre o CPC e o Cinema Novo: uma reflexão sobre a função do artista no início da década de 1960

Autores

  • Mariana Barbedo

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v15i1.5698

Palavras-chave:

Carlos Diegues, cinema, Modernização brasileira, CPC, Cinema Novo

Resumo


O artigo traz à baila a participação artística e política do diretor de cinema Carlos Diegues em dois movimentos culturais caros à vida cultural brasileira: o Centro Popular de Cultura (CPC) e o Cinema Novo. Ambos são bastante emblemáticos da arte engajada do início da década de 1960 e permitem o aprofundamento do debate acerca da função social do artista, bem como das lutas sociais que antecederam o golpe militar. Assim, ao abordar a trajetória do diretor Carlos Diegues e o seu papel militante nesse contexto, buscamos compreender e contribuir com a produção historiográfica acerca da história recente do Brasil.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

BARBEDO, M. Carlos Diegues, entre o CPC e o Cinema Novo: uma reflexão sobre a função do artista no início da década de 1960. Tempos Históricos, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 170–190, 2000. DOI: 10.36449/rth.v15i1.5698. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/5698. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História, Cinema e Música