Relações de género na enfermagem em Portugal (1886-1955)

Autores

  • Helena da Silva

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v16i1.7944

Palavras-chave:

História da enfermagem, género, enfermeiros, escola de enfermagem, sindicatos.

Resumo


Tradicionalmente, em Portugal a enfermagem não era vista como uma ocupação predominantemente feminina. A forte presença de elementos do sexo masculino manteve-se na criação dos primeiros cursos para formar o pessoal de enfermagem. Em Portugal, a feminização da enfermagem foi tardia e lenta em relação a outros países da Europa ocidental, e foi o resultado de uma cópia de modelos estrangeiros e não propriamente de críticas profundas ao pessoal de enfermagem masculino. Esta viragem modificou a tradicional enfermagem mista, alterando a formação dos futuros enfermeiros. Contudo, estes continuaram a ter uma forte presença na enfermagem, nomeadamente nas suas associações e sindicatos, contribuindo de forma ativa para a evolução da profissão.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

DA SILVA, H. Relações de género na enfermagem em Portugal (1886-1955). Tempos Históricos, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 17–39, 2000. DOI: 10.36449/rth.v16i1.7944. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/7944. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático