GUARDIÕES DA REFORMA AGRÁRIA. SERVIDORES PÚBLICOS E TÉCNICOS EM DEFESA DE UMA REFORMA AGRÁRIA DURANTE A DITADURA MILITAR DO BRASIL

Autores

  • Regina Bruno

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v16i2.8098

Resumo


O presente artigo tem como objetivo refletir sobre a experiência de um pequeno grupo de servidores públicos e técnicos lotados em órgãos governamentais voltados para a problemática fundiária no Brasil do período da ditadura militar (1964-85). A postura deste grupo foi pautada pela defesa da reforma agrária como expressão da democratização da propriedade da terra. Ele era formado por pessoas que, no dia a dia de suas atividades, aprenderam a aproveitar mínimos espaços administrativos para defender um projeto reformista. Parto do suposto de que o ideal de reforma agrária concebido como necessidade histórica socialmente construída foi determinante para a existência, a atuação e a reprodução social dos guardiões da reforma agrária como grupo e como indivíduos.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

BRUNO, R. GUARDIÕES DA REFORMA AGRÁRIA. SERVIDORES PÚBLICOS E TÉCNICOS EM DEFESA DE UMA REFORMA AGRÁRIA DURANTE A DITADURA MILITAR DO BRASIL. Tempos Históricos, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 71–97, 2000. DOI: 10.36449/rth.v16i2.8098. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/8098. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático