REPRESENTATIVIDADE SOCIAL DA IRMANDADE E CEMITÉRIO SÃO MIGUEL E ALMAS NA SECULARIZADA E REPUBLICANA CIDADE DE PORTO ALEGRE/RS

Autores

  • Mauro Dillmann

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v17i1.8947

Palavras-chave:

Irmandade São Miguel e Almas, Cemitério, Secularização, Perfil Social.

Resumo


Este artigo tem por objetivo apresentar o perfil social da Irmandade São Miguel e Almas de Porto Alegre/RS nas primeiras décadas do século XX, destacando as atuações sociais e redes de relações de alguns de seus integrantes, em especial, dos queforam sepultados no cemitério que ela mantinha. Em um período em que a secularização dos cemitérios já se encontrava consolidada, a manutenção de um espaço privado e cristão de enterramentos garantiu, a este grupo social católico porto- alegrense, a continuidade de práticas fúnebres tradicionais, como pudemos constatar na análise que fizemos dos documentos do acervo da Irmandade. O estudo sobre a instalação, aevolução e as especificidades do cemitério São Miguel e Almas se insere na discussão que vem sendo realizada em âmbito latinoamericano sobre a criação de necrópoles privadas católicas em um contexto laico e republicano.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

DILLMANN, M. REPRESENTATIVIDADE SOCIAL DA IRMANDADE E CEMITÉRIO SÃO MIGUEL E ALMAS NA SECULARIZADA E REPUBLICANA CIDADE DE PORTO ALEGRE/RS. Tempos Históricos, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 205–232, 2000. DOI: 10.36449/rth.v17i1.8947. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/8947. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos