Renda, desigualdade e pobreza na agricultura paranaense: O que mostram os dados do PNAD 2002

Nelly Maria Sansígulo de Figueiredo, Angela M. C. Jorge Corrêa

Resumo

O trabalho analisa a distribuição de rendimentos do trabalho entre pessoas ocupadas na agricultura do Paraná em 2002, tendo como base de dados a PNAD 2002 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). Uma equação de rendimentos para pessoas ocupadas na agricultura do Paraná, estimada segundo um modelo linear geral e com o apoio do Proc Glm do software SAS, permite avaliar a importância relativa dos vários condicionantes desses rendimentos, em termos marginais.Verifica-se que Posição na Ocupação, considerada no estudo como proxy para posse prévia de capital e riqueza, mostra-se com maior relevância para a explicação da desigualdade de rendimentos do trabalho, em termos marginais. Segue-se em importância a Educação, admitida neste estudo como proxy para treinamento, notando-se que no Paraná, bem como no Sul em geral, esse fator apresenta-se relativamente mais relevante que na média brasileira. Sexo, Idade e Cor têm influência bastante inferior às duas anteriores. Esses resultados confirmam estudos anteriores para a agricultura brasileira, mostrando que a posse de riqueza, inerente ao fato de se deter a propriedade da terra, continua sendo o principal condicionante da renda entre as pessoas ocupadas na agropecuária brasileira.

Texto completo:

PDF