Evolução do mercado de trabalho informal no Estado do Paraná

Jefferson Andronio Ramundo Staduto, Paulo Roberto Joner, Thyago Américo Schio

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar a evolução do setor informal de trabalho do estado do Paraná, no período 1992 a 2005, destacando as suas dimensões espacial, setorial e demográfica. O estado do Paraná foi dividido em duas regiões: Metropolitana (RM) e Regional Não Metropolitana (RNM). Foi avaliado o comportamento do grau de informalidade (GI) nesse período por setor e a contribuição da estrutura setorial na variação do GI. O Paraná na década de 1990 foi fortemente impactado pela abertura comercial e também por uma nova onda de investimentos. A economia informal no Brasil reduziu levemente de 1992 a 2005, mas no Paraná foi mais acentuada essa redução. Na RNM paranaense, o GI reduziu consistentemente, mas o setor industrial apresentou crescimento do GI, no entanto, foi amplamente compensado pelo setor agropecuário, que não reduziu expressivamente o GI, mas, sobretudo, a sua participação no total das ocupações, provocada pelo fechamento de posto de trabalho. Na RM, o GI apresentou pequena redução, o setor de construção civil avançou na informalidade e os demais setores não apresentaram variações expressivas, exceto o setor de serviços, que apresentou redução do GI. No estado do Paraná, o GI reduziu em razão da redução da informalidade no setor agropecuário e da mudança estrutural. No estado do Paraná, a participação das mulheres na informalidade cresceu enquanto a dos homens estabilizou, e observou-se que os níveis médios de escolaridade e idade aumentaram tanto na informalidade quanto na formalidade.

Palavras-chave

trabalho informal, mercado de trabalho informal, economia informal, região metropolitana, região não-metropolitana, Estado do Paraná.

Texto completo:

PDF