Movimentos Populacionais Metropolitanos E Algumas Relações Socioespaciais

Érica Tavares da Silva

Resumo


Este trabalho explora algumas lógicas para os movimentos populacionais no espaço urbano, que são considerados tanto através das migrações envolvendo a metrópole, como através dos deslocamentos pendulares. Essas possíveis relações abarcam diversos mecanismos socioespaciais que determinam a localização das pessoas no espaço, entre eles podem ser citados o acesso à moradia, ao mercado de trabalho, às oportunidades educacionais, ao sistema de mobilidade urbana, entre outros. Algumas hipóteses são analisadas, especialmente no que se refere ao lugar de residência e às características dos movimentos populacionais, a partir de uma aproximação da organização social do território, considerando mais detidamente a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Os resultados mostram que deve haver uma relação entre as migrações intrametropolitanas e os movimentos pendulares. Quanto às migrações, além de serem os municípios da periferia que mais recebem pessoas no núcleo, também aumentam as trocas migratórias na própria periferia, ainda nesta, são as áreas populares que mais dinamizam os movimentos populacionais. Quanto à distribuição da população que faz movimento pendular, também são das áreas populares que saem mais pessoas para trabalhar ou estudar no núcleo da metrópole, apesar de, em termos proporcionais à própria população das áreas, haver mais participação nas áreas superiores.


Palavras-chave


metrópoles, migração, movimento pendular.

Texto completo:

PDF


INFORME GEPEC


e-ISSN: 1679-415X — ISSN: 1676-0670 (descontinuado em 2010)

Unioeste
Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Informe Gepec- PGDRA
Rua da Faculdade, 645
Jardim La Salle - Toledo - Paraná
85903-000

[
revista.gepec@gmail.com ]