O filme hispânico a partir da literatura filmada: as obras Como água para chocolate

Cristina Andrade dos Santos

Resumo

O presente trabalho baseia-se no comportamento do cinema e da literatura na América de língua espanhola através da análise da transposição do romance Como água para chocolate para o cinema. Embora o texto fílmico e o texto literário possuam cada um os seus paradigmas, esses produtos culturais na América Latina têm não somente o intuito de serem indústrias, mas também dialogam com a realidade local, principalmente sobre o mundo popular, lançando um olhar peculiar sobre o continente. Nota-se a descrição e interpretação da obra fílmica, somadas às concepções da obra literária considerando sempre que a autora do livro é a própria roteirista da película. Há o objetivo de observar as possibilidades narrativas, sejam representações da linguagem escrita, com a palavra impressa ou da linguagem visual, no uso da imagem. Neste contexto, o filme “Como água para chocolate” oferece uma pluralidade de observações relacionadas ao momento histórico da Revolução Mexicana, ao discurso da culinária e crenças indígenas e às variações linguísticas. A partir desse ponto de vista, a literatura e o cinema são manifestações culturais e formas de linguagem que têm a língua como suporte e veiculam uma forma específica de comunicação que evidencia um uso especial do discurso, colocado a serviço da criação artística.

Palavras-chave

literatura filmada, memória, cinema hispano-americano.

Texto completo:

PDF