O FILHO ETERNO: CONFLUÊNCIAS ENTRE HISTÓRIA, MEMÓRIA E FICÇÃO

Luzia Aparecida Berloffa Tofalini

Resumo


Este estudo faz uma reflexão acerca do romance O filho eterno, de Cristovão Tezza, investigando o texto literário como lugar onde se exploram confluências entre história, memória e cultura. Com efeito, este trabalho se propõe a investigar os modos de reescritura no qual a história de vida do autor constitui material literário. No gênero romanesco, a contraposição polifônica e os problemas individuais concorrem para uma nova configuração de escrita que se caracteriza principalmente por uma narrativa que rememoriza o passado no tempo presente, dialogando com diversas áreas do conhecimento como a da psicologia, da antropologia, da filosofia e da sociologia, entre outras. No texto, narrado em terceira pessoa, o ficcional e o histórico interpenetram-se, deixando à mostra uma visão de mundo a partir de estruturas mentais construídas culturalmente. A narrativa termina por instaurar uma nova realidade que obriga a uma reflexão acerca do relacionamento entre pais e filhos.

Palavras-chave


história; memória; ficção

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |