Efeitos do fornecimento de agonistas β-adrenérgicos no desempenho produtivo, características de carcaça e qualidade da carne de bovinos confinados

Carolina Floret Costa, André Luis Coneglian Brichi, Ismael Castro Pereira, Marco Aurélio Factori, Cyntia Ludovico Martins, Mário De Beni Arrigoni

Resumo


Para aumentar a eficiência da produção de carne bovina, alguns países utilizam agonistas β-adrenérgicos, promotores de crescimento não-hormonais, na terminação de bovinos de corte. Tais substâncias são semelhantes química e farmacologicamente às catecolaminas naturais (dopamina, noreprinefrina e eprinefrina) e promovem um aumento na velocidade de deposição de tecido muscular, com consequente diminuição na deposição do tecido adiposo. Os β-adrenérgicos mais utilizados na bovinocultura de corte são cloridrato de ractopamina e cloridrato de zilpaterol. Estes produtos devem ser utilizados apenas na alimentação de bovinos confinados, durante o período final de terminação. Segundo estudos, são diversos os efeitos da administração de β-adrenérgicos para bovinos. Os principais são aumento na produção de massa muscular, com consequente elevação no peso final da carcaça, ganho em peso e conversão alimentar. Também foram observados maior rendimento de carcaça, maior área de olho de lombo e maior diâmetro das fibras musculares da carne. Em alguns estudos, obteve-se menor deposição de gordura subcutânea e visceral e menores escores de marmoreio na carne.


Palavras-chave


Beta-agonistas; confinamento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18188/sap.v14i4.10232

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários
 |  Incluir comentário

Revista Scientia Agraria Paranaensis

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

ISSN: 1983-1471 - (versão eletrônica)

Centro de Ciências Agrárias

Rua Pernambuco 1777 — Caixa Posta 91

CEP 85960-000 Marechal Cândido Rondon — Paraná — Brasil

E-mail: revista.sap@unioeste.br

Fone: (45) 3284 7901