Co-inoculação e modos de aplicação de Bradyrhizobium japonicum e Azospirillum brasilense e adubação nitrogenada na nodulação das plantas e rendimento da cultura da soja

Alessandro Lucca Braccini, Giovanna Emanuelle Gonçalves Mariucci, Andréia Kazumi Suzukawa, Luiz Henrique da Silva Lima, Gleberson Guillen Piccinin

Resumo

À medida que as técnicas de cultivo evoluem, as culturas requerem o desenvolvimento de novas tecnologias e práticas de manejo que almejem maiores rendimentos com menor custo de produção. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência da co-inoculação e de diferentes modos de aplicação de Bradyrhizobium japonicum e Azospirillum brasilense e adubação nitrogenada na nodulação e produtividade da cultura da soja. O experimento foi implantado no mês de novembro de 2013 em área localizada na Fazenda Experimental de Iguatemi, pertencente à Universidade Estadual de Maringá (UEM). O delineamento utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos de uma testemunha, adubação com nitrogênio (200 kg de N ha-1), inoculação padrão nas sementes (inoculante líquido e turfoso), co-inoculação na semente e co-inoculação no sulco de semeadura, utilizando diferentes doses de inoculante a base de Bradyrhizobium japonicum e Azospirillum brasilense. As seguintes determinações foram efetuadas em campo e em laboratório: número de nódulos no início do florescimento, massa de nódulos no início do florescimento, massa seca da parte aérea, teor de nitrogênio na parte aérea, teor de nitrogênio nos grãos, número de vagens/planta, massa de mil grãos e produtividade. Os resultados obtidos permitem concluir que a inoculação via sementes com inoculante líquido apresenta a opção adequada para o produtor rural, nas condições do experimento. A adubação nitrogenada não apresentou incrementos de rendimento e componentes de produtividade, sendo desnecessária.

Palavras-chave

Glycine max (L.) Merrill; sementes; inoculação; produtividade

Texto completo:

PDF