Germinação e emergência de plântulas associadas ao tamanho e peletização de sementes de quinoa

Guilherme Francisco Alves Bomfim, Edmar Soares de Vasconcelos, Victor Natan Cazzo, Giovani Andreazza de Oliveira

Resumo

Este trabalho foi realizado com o objetivo de verificar a relação existente entre o tamanho de sementes de quinoa e a peletização das mesmas, na sua germinação em laboratório e emergência de plântulas em campo. Primeiramente, o experimento foi conduzido em laboratório utilizando delineamento inteiramente ao acaso (DIC) com esquema fatorial incompleto 2 x (4 ou 3), em seguida, foi conduzido a campo utilizando delineamento de blocos casualizados (DBC) com parcelas subdivididas, em quatro repetições e com esquema de 2 x (3 ou 2). As análises estatísticas foram realizadas com o auxílio do aplicativo computacional R e foram realizadas a análise de variância seguida do teste de média de Tukey a 5% de probabilidade de erro. De acordo com os testes realizados, sementes de quinoa maiores, quando colocadas em ambiente de laboratório, apresentam maior desempenho germinativo do que as sementes menores. Quando as sementes foram colocadas em condição de campo, independentemente do tamanho da semente, ou do processo de peletização, não houve diferença significativa no índice de velocidade de emergência.

Palavras-chave

peletização; índice de velocidade de emergência; germinação; quinoa.

Texto completo:

PDF