Radiação uv-c na longevidade pós-colheita de tangerinas sob refrigeração

Alex Guimarães Sanches, Maryelle Barros da Silva, Elaine Gleice Silva Moreira, Jaqueline Macedo Costa, Carlos Alberto Martins Cordeiro

Resumo


O aumento da vida de prateleira é fundamental para ampliar a comercialização dos frutos de tangerina (Citrus reticulata Blanco) e, assim, alçar mercados mais distantes. Nessa linha, o presente trabalho teve por objetivo avaliar o melhor tempo de exposição à radiação UV-C na longevidade pós-colheita desse fruto. Avaliaram-se os tempos de exposição por 5, 10, 15 e 20 minutos, além de frutos que não foram expostos, configurando a testemunha. Os frutos foram armazenados sob refrigeração a temperatura de 15 ºC e avaliados por 25 dias. A cada cinco dias avaliou-se a perda de massa fresca, firmeza, sólidos solúveis, acidez titulável, pH, ácido ascórbico, índice de maturação e taxa respiratória. Com exceção do pH, os demais resultados mostraram variação estatística em todas as características avaliadas. Os tempos de exposição por 15 e 20 minutos apresentaram resultados semelhantes em todos os tempos de armazenamento e revelaram melhores médias quanto à qualidade pós-colheita dos frutos. A radiação UV-C mostrou-se como uma técnica ferramenta promissora para a ampliação da vida útil de tangerinas, aliado à refrigeração.


Palavras-chave


Citrus reticulata Blanco; fruta cítrica; ponkan; tempo de exposição.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18188/sap.v15i3.13561

Incluir comentário

Revista Scientia Agraria Paranaensis

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

ISSN: 1983-1471 - (versão eletrônica)

Centro de Ciências Agrárias

Rua Pernambuco 1777 — Caixa Posta 91

CEP 85960-000 Marechal Cândido Rondon — Paraná — Brasil

E-mail: revista.sap@unioeste.br

Fone: (45) 3284 7901