Concentração espermática e fertilização artificial de ovócitos do híbrido tambacu (Colossoma macropomum x Piaractus mesopotamicus)

Ricardo de Matos Morais, Cristielle Nunes Souto, Lázara Aline Simões Silva, Delma Machado Cantisani Padua

Resumo

Objetivou-se com este trabalho determinar a melhor concentração espermática para fertilização dos ovócitos do híbrido tambacu (C. macropomum x P. mesopotamicus). Para isso, foram selecionadas duas fêmeas de tambaqui com maturação avançada, abdômen abaulado e papila genital avermelhada e quatro machos de pacu com liberação de sêmen mediante leve massagem abdominal no sentido crânio-caudal. As fêmeas e os machos foram induzidos à reprodução com extrato bruto de hipófise. As fêmeas liberaram em média 654 ± 182 g de ovócitos, sendo que cem gramas continham 1560 ovócitos, com uma razão de 170.040 ovócitos.kg-1. Os ovócitos foram distribuídos em cinco tratamentos e três repetições: C1 = 1 g, C2 = 1,5 g, C3 = 2 g, C4 = 2,5 g e C5 = 3 g. Os machos produziram em média 2 ± 0,3 mL de sêmen com 10x109 espermatozóides.mL-1 e média de 90% de motilidade. Para fertilização, utilizou-se 20 μL de sêmen fresco em cada repetição. A melhor relação espermatozóide/ovócitos foi encontrada no tratamento C4. Para melhorar a taxa de fertilização do híbrido tambacu recomenda-se 1 mL de sêmen de pacu para cada 125 g de ovócito do tambaqui.

Palavras-chave

espermatozóide; peixes; piscicultura; reprodução

Texto completo:

PDF