Uso de DDGS de milho para suínos: uma breve revisão

Anderson Corassa, Iziz Paula Anhon da Silva Lautert, Lariza Luana da Silva, Caroline de Souza

Resumo

Os coprodutos da produção de etanol a partir do milho são referenciados na literatura como grãos secos destilados com solúveis (Dried Distillers Grains With Solubles - DDGS). Existe considerável variação na composição nutricional do DDGS principalmente devido a variação genética do milho, à proporção de solúveis adicionados antes da secagem e ao processamento por calor. A produção de etanol de milho no Brasil iniciou-se há pouco mas apresenta-se com enorme potencial, gerando expectativas enormes de disponibilidade de DDGS. Para cada megagrama de milho é produzido em média 401 L de etanol, 323 kg de CO2 e 323 kg de DDGS. Os valores de energia, proteína e de fósforo digestível do DDGS o caracterizam como um alimento alternativo com grande potencialidade para substituição parcial do milho e farelo de soja na alimentação de suínos. A maior concentração de fibra alimentar no DDGS pode ser uma das principais razões para a diminuição da digestibilidade da energia do DDGS em comparação ao milho. A inclusão de 30% de DDGS para leitões e 50% de DDGS para suínos adultos e reprodutores, garantem não afetar seu desempenho. Baixas inclusões de DDGS podem ser utilizadas sem prejuízo ao desempenho dos animais, contudo inclusões elevadas acabam por expressar resultados inferiores em comparação a ingredientes convencionais.

Palavras-chave

alimento alternativo; biocombustíveis; coprodutos; nutrição

Texto completo:

PDF