Composição florística da regeneração natural de área de cerrado sensu stricto e sub-bosque de clones de eucalipto

Bruno Aurélio Campos Aguiar, Marília Oliveira Camargo, Rômullo Quirino de Souza Ferreira, Paulo Ricardo Teixeira, Priscila Bezerra de Souza

Resumo

O Cerrado é o segundo bioma mais importante do Brasil, conhecido principalmente devido a sua biodiversidade, dentre os estados brasileiros o Tocantins se destaca por possuir a maior quantidade de remanescentes deste bioma. O objetivo desse trabalho foi avaliar a composição florística da regeneração natural de uma área de cerrado sensu stricto (c.s.s) e o sub-bosque de dois povoamentos de Eucalyptus urocam (E. uc) e E. urograndis (E. ug), além de comparar a riqueza e diversidade das espécies e a similaridade entre as áreas. Esse estudo foi conduzido na zona rural do município de Aliança do Tocantins (TO), nos limites da propriedade privada Nossa Senhora Aparecida. Foram instaladas aleatoriamente três parcelas amostrais de 20 x 50 m em três áreas experimentais, perfazendo um total de 3000 m² ou 0,3 ha em cada área experimental. Foram amostrados todos os indivíduos com altura ≥ a 1 m e ≤ a 3 m e circunferência na altura do solo ≥ a 10 cm. Foram identificados nas três áreas experimentais um total de 74 espécies, 31 famílias e 61 gêneros. Na área (c.s.s) foram amostradas 56 espécies, 24 famílias e 49 gêneros, na área (E. uc) foram encontradas 20 espécies, 15 famílias e 19 gêneros, e na área (E. ug) 27 espécies, 18 famílias e 24 gêneros. O índice de diversidade de Shannon (H’) encontrado foi 3,10; 2,87 e 2,36 e equabilidade de Pielou (J’) foi 0,77; 0,96 e 0,72, respectivamente, para as três áreas. A maior similaridade florística encontrada foi entre as áreas de E. uc e E. ug (46%) e a menor entre as áreas (c.s.s) e E. uc (21%).

Palavras-chave

Engenharia Florestal; Composição florística; Cerrado

Texto completo:

PDF