Técnicas para estudos de consumo de alimentos por ruminantes em pastejo: revisão

C. S. de Barros, J. R. Dittrich, A. L. G. Monteiro, S. Pinto, M. B. Warpechowski

Resumo


O consumo dos animais em pastejo é influenciado por muitos fatores, tornando-se difícil a definição de uma metodologia adequada para avaliação. Variáveis como atividades dos animais em pastejo, digestibilidade da forragem e produção animal orientam sobre o melhor método de pastejo, que por sua vez, resulta em uma produção mais econômica. As principais formas de estimar o consumo são por meio de medidas diretas, indiretas e pelo estudo do comportamento ingestivo. As medidas diretas têm como princípio a diferença de massa pré e pós pastejo, por medida no animal ou na pastagem. As metodologias indiretas são baseadas em estudos de produção fecal  e digestibilidade com uso de indicadores. A metodologia que estuda o comportamento ingestivo dos animais em pastejo utiliza como ferramentas as variáveis do bocado (profundidade, massa, tamanho) e o tempo de pastejo para estimar o consumo. São de grande importância trabalhos que têm como objetivo comparar metodologias, mas são escassos. As  técnicas utilizadas para estimativa do consumo de ruminantes em pastejo são inúmeras, todas têm suas limitações e fontes de erro que devem ser bem compreendidas de forma a permitir escolha da técnica mais adequada ao objetivo da estimativa e à disponibilidade de recursos financeiros e operacionais.

Palavras-chave


bocado, comportamento ingestivo, digestibilidade, indicador, pastagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18188/sap.v9i2.4569
 |  Incluir comentário

Revista Scientia Agraria Paranaensis

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

ISSN: 1983-1471 - (versão eletrônica)

Centro de Ciências Agrárias

Rua Pernambuco 1777 — Caixa Posta 91

CEP 85960-000 Marechal Cândido Rondon — Paraná — Brasil

E-mail: revista.sap@unioeste.br

Fone: (45) 3284 7901