Resistência de cultivares de brássicas à galha das crucíferas

M. A. Araujo, V. da C. Lima Neto, L. Ruaro, G. E. Brondani

Resumo

A Galha das Crucíferas causada por Plasmodiophora brassicae Woronin é a mais séria doença das espécies de brássicas e crucíferas, devido principalmente à rápida disseminação do patógeno e sua sobrevivência por meio de estruturas de resistência. Desta forma, o uso de cultivares resistentes é considerado um dos meios mais eficazes e econômicos de controlar a doença. O trabalho objetivou avaliar a resistência de cultivares de brássicas comercializadas na região metropolitana de Curitiba à Galha das Crucíferas. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, foram testados dezenove cultivares em função da inoculação de  P. brassicae. Cada tratamento foi composto por dez repetições, o que totalizou 380 unidades experimentais. Ao final do experimento foram avaliadas a incidência e severidade por meio de escala de notas. Nenhum dos cultivares estudados apresentou resistência ao patógeno. Dentre os cultivares testados, o Nabo comprido (Rábano Minowase) e Rabanete Sparkler apresentaram maior tolerância à doença. Já os cultivares Couve-flor Bola de Neve, Repolho Chato de Quintal e Couve-rábano Roxa apresentaram maior grau de severidade.

Palavras-chave

Plasmodiophora brassicae, patologia radicular, incidência, severidade.

Texto completo:

PDF