Índices fisiológicos de soja hortaliça em duas épocas de semeadura no Recôncavo Sul Baiano

Clovis Pereira Peixoto, Gisele da Silva Machado, Viviane Peixoto Borges, Everaldo Da Cruz Alves, Geomária Márcia Ferreira Leal

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar por meio dos índices fisiológicos, o desempenho de cinco genótipos de soja hortaliça em duas épocas de semeadura nas condições ambientais do recôncavo Sul Baiano, no Município de Cruz das Almas – BA, em 2009. Os experimentos foram instalados no Campo Experimental do Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, no município de Cruz das Almas – BA. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com cinco tratamentos (os genótipos JLM 17, JLM 18, JLM 19, JLM 27, BR 94 e BRS 155) e cinco repetições, em duas épocas de semeadura: primeira época (abril-julho) e a segunda época (agosto-novembro). Foram realizadas coletas quinzenais de cinco plantas aleatórias por parcela, a partir dos 21 dias após a emergência (DAE) até a maturação plena, para a determinação da matéria seca (g planta) e da área foliar da planta (dm²). Essas características serviram de base para determinar os índices fisiológicos: taxa de crescimento da cultura (TCC), taxa de crescimento relativo (TCR), taxa assimilatória líquida (TAL) e razão de área foliar (RAF). O desempenho vegetativo e produtivo da planta deve ser avaliado pela resposta conjunta dos índices fisiológicos, sobretudo TAL e a RAF uma vez que estão interligados, provocando efeitos de compensação entre eles.

Palavras-chave

Glycine max (L.) Merrill, crescimento, massa seca, área foliar.

Texto completo:

PDF