Crescimento inicial da cultura da mandioca em sistema de policultivo

Evander Alves Ferreira, Daniel Valadão Silva, Renan Rodrigues Braga, Maxwel Coura de Oliveira, Gustavo Antonio Mendes Pereira, José Barbosa dos Santos, Tocio Sediyama

Resumo

Uma das principais razões pela qual os agricultores em diversas regiões preferem os policultivos é a possibilidade de se obter maiores produtividades numa área semeada em policultivo do que em área equivalente com uma monocultura. Assim em sistemas de policultivos as plantas se encontram em estado de competição permanente ocasionando a redução do crescimento das plantas consortes. Dessa forma, objetivou-se com este trabalho analisar o crescimento inicial de duas cultivares de mandioca em sistema de consórcio com as culturas do milho, do feijão e adubo verde (feijão gaundu-anão). O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com quatro repetições em sistema fatorial 2x5, onde o fator A foi as cultivares mandioca usadas no consorcio (Cacau – UFV e IAC – 12) e o fator B correspondeu as culturas consortes com a mandioca; adubo verde, feijão guandu anão (Cajanus cajan), milho (Zea mays) e feijão (Phaseolus vulgaris) além do cultivo solteiro da mandioca com e sem controle de plantas daninhas. O desenvolvimento das cultivares foi influenciado negativamente pela infestação de plantas daninhas. O cultivo em consorcio das duas cultivares com o milho, o feijão e o feijão guandu-anão não provocou efeitos significativos na cultura da mandioca mesmo quando comparada com a cultura cultivada em sistema solteiro com capina.

Palavras-chave

produção vegetal, agronomia

Texto completo:

PDF