Alelopatia de espécies forrageiras sobre a germinação e atividade de peroxidase em alface

Autores

  • Lucas Guilherme Bulegon
  • Cristiane Claudia Meinerz
  • Deise Dalazen Castagnara
  • Andre Gustavo Battistus
  • Vandeir Francisco Guimarães
  • Marcela Abbado Neres

DOI:

https://doi.org/10.18188/sap.v14i2.8385

Palavras-chave:

Alelopatia, Aveia, Azevém, Braquiária, Feijão Guandu

Resumo


O efeito inibitório ou benéfico, direto ou indireto, de uma planta sobre outra é conhecido como alelopatia. Com o objetivo de identificar possíveis efeitos alelopáticos, foi conduzido em laboratório um bioensaio com delineamento inteiramente casualizado, para avaliar o efeito de extratos aquosos, obtidos por infusão das folhas secas de aveia (Avena sativa cv. IPR 126), feijão guandu (Cajanus cajan cv. Mandarin), azevém (Lolium multiflorum) e braquiária (Brachiaria brizantha cv. Marandú) sobre a germinação, o conteúdo de proteína celular e atividade da enzima peroxidase de alface (Lactuca sativa). Os extratos de feijão guandu e aveia reduziram a germinação de alface, sendo que a aveia apresentou maior efeito alelopático, retardando e diminuindo a emergência das plântulas de alface. Para esses tratamentos se observou menor atividade da peroxidase. Os extratos de azevém e braquiária não exercem efeito alelopático sobre a germinação e atividade enzimática de plântulas de alface.

Downloads

Publicado

19-06-2015

Edição

Seção

Artigos Científicos