O impacto da aposentadoria no retorno migratório ao Rio Grande do Norte e ao semiárido potiguar

Autores

  • Ricardo Ojima
  • Paulo Roberto Medeiros Azevedo
  • Herick Cidarta Gomes Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v19i1.10068

Palavras-chave:

Migração de Retorno, Aposentadoria, Semiárido, Desenvolvimento Regional

Resumo


A migração de retorno tem se destacado nos estudos da área por se tornar mais representativo nos últimos anos. O Rio Grande do Norte (RN), como um estado particular no contexto nordestino devido aos seus saldos migratórios positivos, tem cerca de 30% de seus imigrantes como retornados. Assim, com o objetivo de entender alguns processos que estão envolvidos na explicação da migração de retorno para o RN, desenvolveu-se uma análise dos dados sobre migração do Censo Demográfico 2010, valendo-se de um modelo de regressão logística, para avaliar, entre outras, o impacto da seguridade social no retorno migratório. Analisou-se também os diferenciais relacionados ao destino desse retorno para a região semiárida. Portanto, observou-se que a aposentadoria ou pensão é a variável que melhor explica a migração de retorno no modelo logístico. Confirmando para o RN o que parte da literatura da área destaca como elementos importantes para o retorno migratório.

Downloads

Publicado

05-09-2015

Como Citar

OJIMA, R.; AZEVEDO, P. R. M.; OLIVEIRA, H. C. G. O impacto da aposentadoria no retorno migratório ao Rio Grande do Norte e ao semiárido potiguar. Informe GEPEC, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 6–19, 2015. DOI: 10.48075/igepec.v19i1.10068. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/10068. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos