A coopetição e os APL como indutores do desenvolvimento local: um panorama no Estado do Paraná

Autores

  • Tiago Hideki Niwa
  • Isaura Alberton de Lima
  • Christian Luiz da Silva

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v18i2.10469

Palavras-chave:

Arranjos produtivos locais, Coopetição, Desenvolvimento regional, Empreendedorismo, Inovação.

Resumo


A partir da consolidação de uma aglomeração produtiva, os Arranjos Produtivos Locais em consonância aos princípios e teorias desenvolvimentistas são indutores do desenvolvimento local. Por meio de uma metodologia de pesquisa exploratória, o estudo tem como objetivo, especialmente, demonstrar referências bibliográficas e dados oficiais de governo acerca dos arranjos produtivos locais, desenvolvimento local e regional, coopetição, inovação e empreendedorismo. Como principais resultados, destaca-se o protagonismo do governo e seus órgãos, bem como de instituições de ensino e pesquisa para mediar ações de desenvolvimento local, enquanto agentes indutores para identificação e fortalecimento das vocações produtivas territoriais. Por isso, embora haja a identificação das aglomerações produtivas, inclusive por meio de órgãos oficiais de governo, faz-se importante a discussão entre os agentes promotores dos APL para averiguar interesses econômicos, sociais e ambientais, assim como as potencialidades e vantajosidades para o desenvolvimento sistemático de determinados produtos ou serviços.

Downloads

Publicado

12-02-2015

Como Citar

NIWA, T. H.; DE LIMA, I. A.; DA SILVA, C. L. A coopetição e os APL como indutores do desenvolvimento local: um panorama no Estado do Paraná. Informe GEPEC, [S. l.], v. 18, n. 2, p. 66–85, 2015. DOI: 10.48075/igepec.v18i2.10469. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/10469. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos