INDICADORES DE BARREIRAS NÃO-TARIFÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES DE CARNES DO BRASIL

Autores

  • Cátia Cirene Pinheiro Bellonia
  • Orlando Monteiro da Silva

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v11i1.1097

Palavras-chave:

Barreiras não-tarifárias, exportações, carnes.

Resumo


O Brasil possui um grande potencial no mercado internacional de carnes. No entanto, as exportações desse setor estão sujeitas a restrições não-tarifárias em mercados importantes para o Brasil, como União Européia, Estados Unidos e Japão. Nesse sentido, este estudo procurou quantificar os efeitos das barreiras não-tarifárias (BNTs) praticadas contra as exportações brasileiras de carnes (bovina, suína e de frango) e definir as principais medidas de proteção utilizadas por onze parceiros comerciais do Brasil, no período compreendido entre 1990 e 2003, tendo como referencial analítico os Índices de Freqüência (IF) e de Cobertura de Comércio (IC) e a Taxa de Proteção Nominal (TPN). Cabe às autoridades brasileiras ficarem atentas a essas questões, tentando solucioná-las bilateralmente com esses países, a fim de evitar que medidas como a imposição de barreiras não-tarifárias prejudiquem o desempenho do setor de carnes brasileiro como exportador.  

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

BELLONIA, C. C. P.; SILVA, O. M. da. INDICADORES DE BARREIRAS NÃO-TARIFÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES DE CARNES DO BRASIL. Informe GEPEC, [S. l.], v. 11, n. 1, 2000. DOI: 10.48075/igepec.v11i1.1097. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/1097. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos