Atributos urbanos e condição de ocupação da população economicamente ativa de Minas Gerais: uma análise multinível

Autores

  • Lediany Freitas de Campos
  • Nildred Stael Fernandes Martins
  • Ana Maria Hermeto Camilo de Oliveira
  • Rodrigo Ferreira Simões

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v20i1.13587

Palavras-chave:

Desenvolvimento urbano. Economia regional e urbana. Condição de ocupação. Modelo hierárquico.

Resumo


Este trabalho tem o intuito de analisar como o nível de desenvolvimento urbano das estruturas produtivas das microrregiões de Minas Gerais afeta a probabilidade de um indivíduo estar ou não ocupado no mercado de trabalho. Para tanto, utilizando dados do Censo (2010), estimou-se um modelo logístico hierárquico de dois níveis para verificar em que medida varia a probabilidade de trabalhadores, com características semelhantes, estarem ocupados (nível 1), dado que estes residem em diferentes microrregiões mineiras (nível 2). Os resultados apontam que a probabilidade do indivíduo estar ocupado é maior se ele for homem, branco, residir na área rural, ser mais velho e mais escolarizado. Ademais, os atributos urbanos das microrregiões, por meio da taxa de urbanização e da densidade de serviços modernos, têm influência positiva sobre a condição de ocupação dos indivíduos, porém, pouco representativa, comparada aos atributos individuais. 

Downloads

Publicado

02-06-2016

Como Citar

FREITAS DE CAMPOS, L.; STAEL FERNANDES MARTINS, N.; HERMETO CAMILO DE OLIVEIRA, A. M.; FERREIRA SIMÕES, R. Atributos urbanos e condição de ocupação da população economicamente ativa de Minas Gerais: uma análise multinível. Informe GEPEC, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 78–97, 2016. DOI: 10.48075/igepec.v20i1.13587. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/13587. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos