Frutas processadas sob a forma de salada: preferências dos consumidores e suas implicações no mercado

Autores

  • Patrícia Lopes Rosado
  • Mônica Moura Pires
  • Ronaldo Perez

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v17i2.1407

Palavras-chave:

Demanda, Processamento, Ato de consumo, Economia.

Resumo


Neste estudo avaliam-se as preferências do consumidor quanto ao consumo de salada de frutas minimamente processadas em Viçosa, Minas Gerais. Especificamente, identificam-se os tipos de fruta para compor a salada; o preço que o consumidor estaria disposto a pagar pelo produto; a quantidade de produto por embalagem; o perfil do consumidor, entre outros fatores determinantes do consumo. Os dados obtidos foram submetidos à estatística descritiva. O consumidor potencial possui um perfil de indivíduo propenso a adquirir novos produtos, o que indica sua boa aceitação no mercado. Com relação à embalagem, poder-se-ia optar por cinco tipos de tamanho: 50g, 100g, 150g, 200g e 250g. De maneira geral, percebe-se que a salada de fruta pode-se constituir em oportunidade de mercado para o setor frutícola da região, e em mais um mercado para escoar a produção local, especialmente àqueles da Zona da Mata Mineira.

Downloads

Publicado

05-06-2014

Como Citar

ROSADO, P. L.; PIRES, M. M.; PEREZ, R. Frutas processadas sob a forma de salada: preferências dos consumidores e suas implicações no mercado. Informe GEPEC, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 177–189, 2014. DOI: 10.48075/igepec.v17i2.1407. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/1407. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos