ATIVOS TERRITORIAIS ARTICULADOS AOS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA FRANCESA DE GOVERNANÇA TERRITORIAL

Autores

  • Adriana Marques Rosetto

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v23i0.22746

Palavras-chave:

Ativos Territoriais, Desenvolvimento Urbano e Regional, Governança Territorial

Resumo


O estudo sobre desenvolvimento territorial no Brasil tem demandado reflexões sobre as potencialidades e limites da especificação de ativos territoriais como elemento de suporte, e mesmo de protagonismo, desse processo. Partindo da premissa de que a existência de ativos territoriais por si só não garante níveis adequados de desenvolvimentos, faz-se necessário pensar um conjunto de outros aspectos inter-relacionados entre os quais os níveis de governança e de participação dos atores nas escalas local/regional.  Desta forma, apresenta-se um relato sobre a experiência francesa de dinamização de territórios através de suas políticas e dos movimentos que sustentam e fortalecem o modelo de desenvolvimento apoiado em ativos territoriais. Identifica-se na experiência grande potencial dos ativos territoriais como desencadeadores de processos de desenvolvimento quando associados a níveis elevados de governança territorial, a políticas governamentais direcionadas, a identidades territoriais fortes e valorizadas em processos culturais consolidados, a senso de coletividade e respeito ao meio ambiente.

Biografia do Autor

Adriana Marques Rosetto

Curso de Ciência Econômicas e Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional

Downloads

Publicado

05-07-2019

Como Citar

ROSETTO, A. M. ATIVOS TERRITORIAIS ARTICULADOS AOS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA FRANCESA DE GOVERNANÇA TERRITORIAL. Informe GEPEC, [S. l.], v. 23, p. 71–88, 2019. DOI: 10.48075/igepec.v23i0.22746. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/22746. Acesso em: 29 maio. 2022.