ÍNDICES DAS ARBOVIROSES NA REGIÃO NORTE DO BRASIL NO ANO DE 2019 NA PERSPECTIVA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Indices of arboviroses in the north region of Brazil in 2019 from the perspective of sustainable development

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v25i1.25141

Palavras-chave:

Desenvolvimento Regional, Desenvolvimento sustentável, Arboviroses.

Resumo


Esta pesquisa propõe analisar os índices das arboviroses na região Norte do Brasil no ano de 2019, na perspectiva do desenvolvimento sustentável. Trata-se de uma pesquisa exploratória, de cunho documental, fundamentada nos dados públicos da Secretaria de Vigilância em Saúde do SINAN e da Secretaria de Saúde do Tocantins, e em dados do ATLAS do Desenvolvimento Humano e do IBGE. O estudo apresentou lacunas no desenvolvimento sustentável da região Norte, o que guarda relação com o IDH e as condições de saneamento básico. Também foi observado no Tocantins uma transição de quase o quíntuplo dos casos de arboviroses no período 2018-2019. Demonstra-se que, para o alcance de êxito no controle das arboviroses, há necessidade de condições sustentáveis de desenvolvimento, otimização de condições dos serviços de saneamento, renda, educação e de saúde.

Biografia do Autor

Milka Brasil Costa Sousa, Universidade de Taubaté

Mestranda em Planejamento e Desenvolvimento Regional pela UNITAU - Universidade de Taubaté, Pós-graduada em Docência do Ensino Superior pela FAIARA- Faculdade Integrada de Araguatins, e Graduada em Enfermagem pela UNITINS- Universidade Estadual do Tocantins. 

Monica Franchi Carniello, Universidade de Taubaté

Docente do programa de pós-graduação em Planejamento e Desenvolvimento Regional pela UNITAU, Pós-doutora em Ciências Sociais Aplicadas pela UMINHO- Universidade do Minho -Portugal, Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC- Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Mestre em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Graduada em Comunicação Social pela PUC.

Marilsa de Sá Rodrigues, Universidade de Taubaté

Docente do programa de pós-graduação em Planejamento e Desenvolvimento Regional pela UNITAU, Doutora e Mestre em Administração pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Referências

ABES. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Situação do saneamento básico no Brasil: uma análise com base no PNAD 2015. Disponível em:< http://abes-dn.org.br/pdf/Situacao.pdf>. Acesso em 20 ago. 2020.

ALMEIDA, L.; COTA, A. L. S.; RODRIGUES, D. F. Saneamento, arboviroses e determinantes ambientais: impactos na saúde urbana. Revista da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Ciência & Saúde Coletiva, 2019. Disponível em:<http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/saneamento-arboviroses-e-determinantes-ambientais-impactos-na-saude-urbana/17113?id=17113>. Acesso em 7 fev. 2010.

ATLAS. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Ranking- todos os estados (2010). 2010. Disponível em:<http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/ranking/> Acesso: em 12 jan. 2020.

BRASIL. Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde. As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. 2008. Disponível em:< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/causas_sociais_iniquidades.pdf>. Acesso em 7 fev. 2010.

_______. Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Declaração final da conferência das nações unidas sobre desenvolvimento sustentável (RIO+20). Rio de Janeiro, Brasil, 2012. Disponível em:<http://www2.mma.gov.br/port/conama/processos/61AA3835/O-Futuro-que-queremos1.pdf>. Acesso em 5 fev. 2020.

_______. Grupo de Trabalho para a Revisão Nacional de Desenvolvimento Regional. Agendas para o Desenvolvimento das Macrorregiões Norte, Nordeste e Centro- Oeste. Brasília, 2018. Disponível em:< https://mdr.gov.br/images/stories/ArquivosSNPU/Biblioteca/publicacoes/FINAL_Documento-Temtico_Dia--21-12-2018.pdf>. Acesso em 10 jan. 2020.

_______. Ministério da Saúde. Política nacional de promoção da saúde. Brasília, 2002. Disponível em:< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_prom_saude.pdf>. Acesso em 5 fev. 2020.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Influenza. Boletim Epidemiológico 38. Volume 50 | Dez. 2019. Disponível em:< http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/dezembro/23/Boletim-epidemiologico-SVS-38-2-interativo.pdf>. Acesso em 11 jan. 2020.

_______. Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins. Diretoria de Vigilância das Doenças Vetoriais e Zoonoses. Monitoramento dos casos de chikungunya até a semana epidemiológica 52, 2019. 2020. Disponível em:<https://central3.to.gov.br/arquivo/486334/>. Acessos em: 11 e 12 jan. 2020.

_______. Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins. Diretoria de Vigilância das Doenças Vetoriais e Zoonoses. Monitoramento dos casos de dengue até a semana epidemiológica 52, 2019. 2020. Disponível em:< https://central3.to.gov.br/arquivo/486333/>. Acessos em: 11 e 12 jan. 2020.

_______. Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins. Diretoria de Vigilância das Doenças Vetoriais e Zoonoses. Monitoramento dos casos de zika até a semana epidemiológica 52, 2019. 2020. Disponível em:< https://central3.to.gov.br/arquivo/486874/. Acessos em: 11 e 12 jan. 2020.

CARNEIRO, F. F.; FRANCO NETTO, G.; CORVALAN, C.; FREITAS, C. M.; SALES, L. B. Saúde ambiente e desigualdades: construindo indicadores para o desenvolvimento sustentável. Revista da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Ciência & Saúde Coletiva, 17(6):1419-1425, 2012. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n6/v17n6a06.pdf>. Acesso em 7 fev.2010.

CAVALCANTI, L. P. de G.; TIMERMAN, A. Saneamento básico e arboviroses no Brasil. Revista Rene. 2016 set-out; 17(5):585.Disponível em: <http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/6101>. Acesso em 14 jan. 2020

COSTA, M. P.; RAMALHO, A. M. C.; DE SOUSA, C. M.. A problemática socioambiental das arboviroses: transformando a prática de educação ambiental e comunicação. Revista Conidis, 2014. Disponível em:

<https://editorarealize.com.br/revistas/conidis/trabalhos/TRABALHO_EV074_MD1_SA10_ID1930_02102017211306.pdf>. Acesso em 7 fev. 2010.

CYSNE, R. P. Arboviroses (dengue, zika e chicungunya) e saneamento básico. Junho | Revista Conjuntura Econômica, 2019. Disponível em:

<https://epge.fgv.br/users/rubens/wp-content/uploads/2019/06/06-2019-arboviroses-dengue-zika-e-chicungunya-e-saneamento-basico.pdf>. Acesso em 12 jan. 2020.

DONALISIO, M. R.; FREITAS, A. R. R.; ZUBEN, A. P. B. V. Arboviroses emergentes no Brasil: desafios para a clínica e implicações para a saúde pública. Revista de Saúde Pública; 51:30, 2017. Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/rsp/v51/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872017051006889.pdf>. Acesso em 9 jan. 2020.

ELMEC, A. M; BATAIERO, M. O.; DA CRUZ, M. G. B. Saneamento do meio, arboviroses e as estratégias de Vigilância Sanitária para combate aos vetores no Estado de São Paulo. Revista Boletim Epidemiológico Paulista;13 (153-154):63-68, 2016. Disponível em:

<http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/VISADengue.pdf>.

Acesso em 9 jan. 2020.

FAPPI, D. A. A problemática socioambiental urbana da dengue no município de Missal. Monografia (Pós-graduação em Gestão Ambiental em Municípios) Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira, PR 2014. Disponível em:< http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/4608/1/MD_GAMUNI_2014_2_80.pdf>. Acesso em 7 fev. 2010.

GADOTTI, M. Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à década para educação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008. Disponível em:

<http://projetos.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/507/1/FIPF_2012_EDL_01_002.pdf>. Acesso em 5 fev. 2020.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional de saneamento básico. 2008. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/to/pesquisa/30/30051?localidade1=13&tipo=ranking&indicador=30182>. Acesso em 12 jan. 2020.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades e Estado, censo de 2010. Disponível em:< https://cidades.ibge.gov.br/>. Acesso em 12 jan. 2020.

KAMIMURA, Q.P; OLIVEIRA, A.L; OLIVEIRA, E.A.A.Q. Saúde em diferentes contextos: trabalho, educação, cuidado, economia e gestão. Taubaté, SP. Ed Unitau, 2019.

MENDONÇA, F. de A.; SOUZA, A. V.; DUTRA, D. A. Saúde pública, urbanização e dengue no Brasil. Revista Sociedade & Natureza, Uberlândia, 21 (3): 257-269, dez. 2009. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/sn/v21n3/a03v21n3.pdf>. Acesso em 7 fev.2010.

OLIVEIRA, S. R. A.; POTVIN, L.; MEDINA, M. G.. Sustentabilidade de intervenções em promoção da saúde: uma sistematização do conhecimento produzido. Revista Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 40, n. 107, P. 1149-1161, OUT-DEZ 2015. Disponível em: <https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/sdeb/v39n107/0103-1104-sdeb-39-107-01149.pdf>. Acesso em 5 fev. 2020.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Constitution of the word health organization. 1948. Disponível em:< http://apps.who.int/gb/bd/PDF/bd47/EN/constitution-en.pdf>. Acesso em 5 fev. 2020.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Desenvolvimento humano e IDH. 2020. Disponível em:< https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/idh0.html>. Acesso em 10 fev. 2020.

________. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Objetivos de desenvolvimento sustentável. Brasil, 2020. Disponível em: <https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/sustainable-development-goals.html>. Acesso em 10 set. 2020.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. 3. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

SACHS, I. Experiências internacionais de um cientista inquieto. Revista Estudos Avançados, v. 8, cap. 54, 2004. Disponível em:< https://www.scielo.br/pdf/ea/v18n52/a23v1852.pdf>. Acesso em 19 set. 2020.

SANTOS, E.L; BRAGA.V; SANTOS, R.S; BRAGA, A.M.S. Desenvolvimento: um conceito multidimensional. Revista Desenvolvimento Regional em Debate, Ano 2, n. 1, jul. 2012.

SÃO PAULO. Diretrizes para a prevenção e controle das arboviroses urbanas no estado de São Paulo, 2017. Disponível em:< http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/publicacoes/diretrizes2017_arboviroses_esp.pdf>. Acesso em 7 fev. 2020.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SIDRA. Sistema IBGE de Recuperação Automática. Censo demográfico. Área e densidade demográfica territorial. 2010. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1301#resultado>. Acesso em 10 jan. 2020

SPILLARI, J. A. Sustentabilidade como instrumento de consciência ambiental e cidadania. In: MONTEIRO, Inês; IGUTI, Aparecida Mari (Org). Trabalho, saúde e sustentabilidade: construindo a cidadania. BFCM, Unicamp, Campinas, SP, 2016. Disponível em:< http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/ ?code=71279&opt=1>. Acesso em 5 fev. 2020.

VIEIRA, E.T; SANTOS, M. J. Desenvolvimento regional - uma revisão histórica e teórica. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 8, n. 2, p. 344-369, mai-ago/2012, Taubaté, SP, Brasil. Disponível em:< https://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/679>. Acesso em 12 set. 2020.

ZARA, A. L. de S. A.; SANTOS, S. M.; OLIVEIRA, E. S.; CARVALHO, R. G.; COELHO, E. G.. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, 25(2): 391-404, abr-jun 2016. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00391.pdf>. Acesso em 7 fev. 2010.

Downloads

Publicado

07-01-2021

Como Citar

SOUSA, M. B. C.; CARNIELLO, M. F.; RODRIGUES, M. de S. ÍNDICES DAS ARBOVIROSES NA REGIÃO NORTE DO BRASIL NO ANO DE 2019 NA PERSPECTIVA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Indices of arboviroses in the north region of Brazil in 2019 from the perspective of sustainable development. Informe GEPEC, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 100–122, 2021. DOI: 10.48075/igepec.v25i1.25141. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/25141. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos