ATUAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ NA DINÂMICA DO SISTEMA AGROINDUSTRIAL DO CAFÉ Action of the Brazilian coffee roasters association in the dynamics of the agricultural system of coffee

Autores

  • Geraldo Magela Jardim Barra Universidade Federal de São João del-Rei

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v25i1.25211

Palavras-chave:

associação, café, torrefação, selos de qualidade

Resumo


O objetivo deste estudo é entender o papel das associações na dinâmica do setor cafeeiro por meio da análise do papel da ABIC na coordenação do Sistema Agroindustrial do café como enfoque nos selos de qualidade. Foram realizadas pesquisa bibliográfica e análise de documentos históricos. Os resultados demonstram que a ABIC contribui para a coordenação do sistema agroindustrial do café ratificando estudos anteriores baseados na teoria institucional. Este estudo cria proposições em termos teóricos no campo de estudos de ações coletivas e propõe um esquema conceitual de análise para pesquisa em sistemas agroindustriais. O suporte da ABIC na coordenação do sistema agroindustrial por meio de seus selos de qualidade tem sido um fator importante para proporcionar força competitiva aos seus associados

Biografia do Autor

Geraldo Magela Jardim Barra, Universidade Federal de São João del-Rei

Professor da Universidade Federal de São João del-Rei (Departamento de Administração e Ciências Contábeis). Doutor em Administração pela Universidade Federal de MInas Gerais. 

Referências

ABIC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DO CAFÉ. Disponível em: Acesso em 16/07/2020. 2020.

BARRA, G. M. J.; OLIVEIRA, V. C. S.; MACHADO, R. T. M. O papel das associações de interesse privado no mercado cafeeiro brasileiro. Revista de Gestão da USP. São Paulo, São Paulo, v. 12, n. 3, 2007.

BARRA, G. M. J.; LADEIRA, M. B. Teorias institucionais aplicadas aos estudos de sistemas agroindustriais no contexto do agronegócio café: uma análise conceitual. REGE. Revista de Gestão USP. 2016.

DONER, R. F.; SCHNEIDER B. R. Business associations and economic development: Why some associations contribute more than others. Business and Politics, Vol. 2, No. 3, 2000.

FARINA, E. M. M. Q.; AZEVEDO, P. F.; SAES, M. S. M. Competitividade: mercado, estado e organizações. São Paulo: Singular, 1997.

LEME, P. H. M. V.; MACHADO, R. T. M. Os pilares da qualidade: o processo de implementação do Programa de Qualidade do Café (PQC). Organizações Rurais e Agroindustriais (UFLA), v. 12, p. 234-248, 2010.

MACHADO FILHO, C. A. P.; MIZUMOTO, F. M.; ZYLBERSZTAJN, D. Governança e a lógica das associações de interesse privado: um estudo de caso da associação brasileira das indústrias de massas alimentícias. Caderno de Administração (UEM), São Paulo, v. 13, n.n 4, p. 15, 2006.

MACHADO FILHO, C. A. P.. Ações coletivas: o papel das associações de interesse privado no agribusiness. In: I Seminário Brasileiro sobre a Nova Economia Institucional, 1998, São Paulo. Anais do I Seminário Brasileiro sobre a Nova Economia Institucional, 1998.

NASSAR, A. M. Eficiência das associações de interesse privado: uma análise do agronegocio brasileiro. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. São Paulo. 2001.

NORTH, D. C. Instituciones, cambio institucional y desempeno económico. Mexico: Fondo de Cultura Econômica, 1993.

OLSON, M. A lógica da ação coletiva: os benefícios públicos e uma teoria dos grupos sociais. São Paulo: Edusp, 1999.

SAES, M. S. M.; FARINA, E. M. M. Q. ABIC: ações conjuntas e novos desafios frente à reestruturação do mercado. In: Seminário Internacional Pensa ee Agribusiness, 8., 1998, São Paulo. Anais... São Paulo: FEA/USP, 1998.

SAES, M. S. M. A desregulamentação do mercado cafeeiro e as perspectivas para o mercado nacional. Revista de Economia e Sociologia Rural (Impresso), Brasília, v.33, n.3, p.7-34, 1995.

SAES, M. S. M. Organizações e instituições. In: ZYLBERSZTAJN, D.; NEVES, M.F. (Org.). Economia e gestão dos negócios agroalimentares: indústria de alimentos, indústria de insumos, produção agropecuária e distribuição. São Paulo: Pioneira. Cap.9, p.165-186. 2000.

SAES, M.S.M.; NAKAZONE, D. Estudo da competitividade de cadeias integradas no Brasil: impactos das zonas de livre comércio. Cadeia: café. São Paulo: FECAMP/ FIPE, 133p. 2002.

SAES, M. S. M.; SILVA, C. L.; E., F. H. Estratégia de diferenciação no mercado brasileiro de café. Revista Brasileira de Gestão de Negócios (São Paulo. Impresso), v. 8, p. 24-31, 2006.

WILLIAMSON, O. E. The economic institutions of capitalism: firms, markets, relational contracting. New York: Free, 1985.

WILLIAMSON, O. E. The new institutional economics: taking stock, looking ahead Oliver E. Williamson. Journal of Economic Literature. Vol. 38, No. 3, p. 595-613, 2000.

Downloads

Publicado

07-01-2021

Como Citar

BARRA, G. M. J. ATUAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ NA DINÂMICA DO SISTEMA AGROINDUSTRIAL DO CAFÉ Action of the Brazilian coffee roasters association in the dynamics of the agricultural system of coffee. Informe GEPEC, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 123–142, 2021. DOI: 10.48075/igepec.v25i1.25211. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/25211. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos