IMPACT OF GROSS DOMESTIC PRODUCT GROWTH ON BRAZILIAN NATIVE FORESTS: A COMPUTABLE GENERAL BALANCE ANALYSIS /Impacto do crescimento do Produto Interno Bruto sobre as florestas nativas brasileiras: uma análise de balanço geral computável

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v27i1.30378
Agências de fomento
CAPES

Palavras-chave:

Crescimento econômico , MATOPIBA, Cerrado e Desenvolvimento Regional, Soja

Resumo

The Brazil is one of the world's leading producers and exporters of agricultural products, and it should continue to expand its production in the coming decades, remaining one of the main providers of food, fiber, and bioenergy for domestic and foreign consumption. This study aimed to analyze, by using Static Computable General Equilibrium model (BREA), the impacts on intermediate demand and the growth of agricultural production necessary for GDP to reach the expected projection for 2030, both for Brazilian macro-regions and for the MATOPIBA as well as the loss of native forest necessary for this happens. As a result, to compose the GDP growth in the North region, fruit growing would emerge with an increase of 9.2%. In MATOPIBA, soybean growth in suppressed forest areas showed an elevation of approximately 9.7%. It is observed that soy would continue to migrate to regions that hold cheap land and without the soybean moratorium embargo. The total amount of forests suppressed in Brazil for the expected economic growth to occur would be 490,000 ha. It is concluded that the economic growth related to the agricultural sectors is also linked to the conversion of native vegetation areas for future economic growth.

 

Resumo: O Brasil é um dos principais produtores e exportadores mundiais de produtos agrícolas e deve continuar expandindo sua produção nas próximas décadas, mantendo-se como um dos principais fornecedores de alimentos, fibras e bioenergia para consumo interno e externo. Este estudo teve como objetivo analisar, por meio do modelo de Equilíbrio Geral Estático Computável (BREA), os impactos sobre a demanda intermediária e o crescimento da produção agrícola necessários para que o PIB atinja a projeção esperada para 2030, tanto para as macrorregiões brasileiras quanto para o MATOPIBA como bem como a perda de mata nativa necessária para que isso aconteça. Com isso, para compor o crescimento do PIB da região Norte, a fruticultura despontaria com crescimento de 9,2%. No MATOPIBA, o crescimento da soja em áreas de floresta suprimida apresentou uma elevação de aproximadamente 9,7%. Observa-se que a soja continuaria migrando para regiões que possuem terras baratas e sem o embargo da moratória da soja. A quantidade total de florestas suprimidas no Brasil para que ocorra o crescimento econômico esperado seria de 490.000 ha. Conclui-se que o crescimento econômico relacionado aos setores agropecuários também está atrelado à conversão de áreas de vegetação nativa para o crescimento econômico futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGROSATÉLITE GEOTECNOLOGIA APLICADA LTDA. Análise Geoespacial da Soja no Bioma Cerrado: Dinâmica da Expansão | Aptidão Agrícola da Soja | Sistema De Avaliação Para Compensação Financeira: 2001 a 2019. - Florianópolis, 2020 60 p.: il.

ARIMA, E. Y.; RICHARDS, P.; WALKER, R.; CALDAS, M. M. Statistical confirmation of indirect land use change in the Brazilian Amazon. Environmental Research Letters, v. 6, n. 2, p. 024010, 2011.

BRAZIL. Lei Federal nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Disponível em: L12651 (planalto.gov.br). Acesso em 01 de maio de 2021.

CABRAL, C. S. R. Impactos econômicos da limitação do desmatamento no Brasil. 2013. 132 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da USP, Ribeirão Preto, 2013.

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR. SICAR – SISTEMA NACIONAL DE CADASTRO AMBIENTAL RURAL. Disponível em: <https://www.car.gov.br/publico/imoveis/index>. Acesso em: 07 de maio de 2022. 2022.

CHRIST, G. D.; BERNAL, A. de O.; GALAFASSI, L. B.; CORONEL, D. A. O agronegócio brasileiro no comércio internacional: vulnerabilidade, retrocesso, oportunidade perdida ou situação ótima? Informe GEPEC, [S. l.], v. 26, n. 2, p. 190–209. DOI: 10.48075/igepec.v26i2.28426. 2022.

DA SILVA, J. M. C.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. Caatinga: the largest tropical dry forest region in South America. Springer, 2018.

SOUZA, G. D. S.; GOMES, E. G.; FREITAS, A. C. R. D.; FERNANDES, P. C. C.; CAMBOIM, C. E. Assessing the Impact of the ABC Cerrado Project. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 51.

DINIZ, T. B. Impactos socioeconômicos do código florestal brasileiro: uma discussão à luz de um modelo computável de equilíbrio geral. 2012. 112 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP, Piracicaba, 2012.

ECKERT, S.; HÜSLER, F.; LINIGER, H.; HODEL, E. Trend analysis of MODIS NDVI time series for detecting land degradation and regeneration in Mongolia. Journal of Arid Environments, v. 113, p. 16-28, 2015.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. MATOPIBA, delimitação, caracterização, desafios e oportunidades para o desenvolvimento. Brasília, DF. 2015.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Visão 2030: o futuro da agricultura brasileira. Brasília, DF. p. 212. 2018.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sealba: região de alto potencial agrícola no Nordeste brasileiro / Sergio de Oliveira Procópio et al. – Aracaju. 62 p. (Documentos / Embrapa Tabuleiros Costeiros, ISSN 1678-1953; 000). 2019.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. GeoWeb, sistema online. Disponível em <http://mapas.cnpm.embrapa.br/matopiba2015/>. Acesso em 05 de maio de 2022.

FERREIRA FILHO, J. B. S.; DE MORAES, G. I. Climate change, agriculture and economic effects on different regions of Brazil. Environment and Development Economics, v. 20, n. 1, p. 37-56, 2015.

FIAN INTERNACIONAL. The Human and Environmental Cost of Land Business The case of MATOPIBA, Brazil. 2018.

FRANCISCO, A. X.; GURGEL, A. Costs of Reducing Deforestation In Brazil: a General Equilibrium Approach. 2020.

FREITAS, F. L.M. Brazilian public protection regulations and the preservation of ecosystem services and biodiversity. Tese de Doutorado. KTH Royal Institute of Technology. 2019.

GARGIULO, J.; CLARK, C.; LYONS, N.; DE VEYRAC, G.; BEALE, P.; GARCIA, S. Spatial and temporal pasture biomass estimation integrating electronic plate meter, planet cubesats and sentinel-2 satellite data. Remote Sensing, v. 12, n. 19, p. 3222, 2020.

GUILHOTO, J. Estimação da Matriz Insumo-Produto Utilizando Dados Preliminares das Contas Nacionais: Aplicação e Análise de Indicadores Econômicos para o Brasil em 2005 (Using Data from the System of National Accounts to Estimate Input-Output Matrices: An Application Using Brazilian Data for 2005). Available at SSRN 1836495, 2010.

HUETE, A.; DIDAN, K.; MIURA, T.; RODRIGUEZ, E. P.; GAO, X.; FERREIRA, L. G. Overview of the radiometric and biophysical performance of the MODIS vegetation indices. Remote sensing of environment, v. 83, n. 1-2, p. 195-213, 2002.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de Contas Regionais. Rio de Janeiro, 2020b. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9054-contas-regionais-do-brasil.html?edicao=32020&t=resultados>. Acesso em 12 de maio de 2022.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Produção Agrícola Municipal. Rio de Janeiro, 2020d. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agricola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?edicao=25369&t=destaques>. Acesso em 12 de maio de 2022.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de Contas Nacionais. Rio de Janeiro, 2022. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9052-sistema-de-contas-nacionais-brasil.html?=&t=resultados>. Acesso em 10 de junho de 2022.

LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS E GEOPROCESSAMENTO - LAPIG. Atlas Digital das Pastagens Brasileiras. 2020. Disponível em: <http://atlasdaspastagens.ufg.br/>. Acessado em 19 Maio 2022.

LOYOLA, R.; REZENDE, C.; RIBEIRO, B. Áreas Prioritárias para Conservação e Restauração no Matopiba. Caderno de Notas Técnicas do Programa Parceria para o Bom Desenvolvimento (GGP/PNUD). Rio de Janeiro: Conservação Internacional Brasil, 2021.

MACA-MILLÁN, S.; ARIAS-ARÉVALO, P.; RESTREPO-PLAZA, L. Payment for ecosystem services and motivational crowding: Experimental insights regarding the integration of plural values via non-monetary incentives. Ecosystem Services, v. 52, p. 101375, 2021.

MAPA - MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Brasil Projeções do Agronegócio 2019/2020 a 2029/2030. 2020.

MAPA - MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO: Brasil 2020/21 a 2030/31 Projeções de Longo Prazo. Brasília, DF. 2021.

PEREIRA, O. J. R.; FERREIRA, L. G.; PINTO, F.; BAUMGARTEN, L. Assessing pasture degradation in the Brazilian Cerrado based on the analysis of MODIS NDVI time-series. Remote Sensing, v. 10, n. 11, p. 1761, 2018.

POLIZEL, S. P.; VIEIRA, R. M. D. S. P.; POMPEU, J.; DA CRUZ FERREIRA, Y.; DE SOUSA-NETO, E. R.; BARBOSA, A. A.; OMETTO, J. P. H. B. Analysing the dynamics of land use in the context of current conservation policies and land tenure in the Cerrado–MATOPIBA region (Brazil). Land Use Policy, v. 109, p. 105713, 2021.

RODRIGUES, W.; MELO, J. A. Avaliação econômica de tecnologias de agricultura de baixo carbono em regiões de cerrado. Informe GEPEC, [S. l.], v. 21, n. 1, p. p. 82–100, 2017. DOI: 10.48075/igepec.v21i1.15871.

RUSSO LOPES, G.; BASTOS LIMA, M. G.; DOS REIS, T. N. Maldevelopment revisited: Inclusiveness and social impacts of soy expansion over Brazil’s Cerrado in Matopiba. World Development, v. 139, n. C, 2021.

SOLIDARIDAD. Potencial regional de expansão da soja no Matopiba; São Paulo. 2021.

SPAROVEK, G.; REYDON, B. P.; PINTO, L. F. G.; FARIA, V.; DE FREITAS, F. L. M.; AZEVEDO-RAMOS, C.; GARDNER, T.; HAMAMURA, C.; RAJÃO, R.; CERIGNONI, F.; SIQUEIRA, G. P.; CARVALHO, T.; ALENCAR, A.; RIBEIRO, V. Who owns Brazilian lands? Land Use Policy, v. 87, p. 104062, 2019.

SOTERRONI, A. C.; RAMOS, F. M.; MOSNIER, A.; FARGIONE, J.; ANDRADE, P. R.; BAUMGARTEN, L.; POLASKY, S.; PIRKER, J.; OBERSTEINER, M.; KRAXNER, F.; CÂMARA, G.; CARVALHO, A. X. Y. Expanding the soy moratorium to Brazil’s Cerrado. Science advances, v. 5, n. 7, p. eaav7336, 2019.

STOCCO, L.; DE SOUZA FERREIRA FILHO, J. B.; HORRIDGE, M. Closing the Yield Gap in Livestock Production in Brazil: New Results and Emissions Insights. In: Environmental Economics and Computable General Equilibrium Analysis. Springer, Singapore, 2020. p. 153-170.

TEIXEIRA, A.; VIANNA, S. W. Cenários Macroeconômicos no horizonte de 2022/2030. Fundação Oswaldo Cruz. A saúde no Brasil em, v. 2030, 2013.

Downloads

Publicado

07-03-2023

Como Citar

SUELA, A. G. L.; ZANETTI DE LIMA, C. .; WOLF, R.; MICHAEL TROTTER, I. IMPACT OF GROSS DOMESTIC PRODUCT GROWTH ON BRAZILIAN NATIVE FORESTS: A COMPUTABLE GENERAL BALANCE ANALYSIS /Impacto do crescimento do Produto Interno Bruto sobre as florestas nativas brasileiras: uma análise de balanço geral computável . Informe GEPEC, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 228–245, 2023. DOI: 10.48075/igepec.v27i1.30378. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/30378. Acesso em: 24 jul. 2024.