Potencial alelopático de extratos aquosos de aroeira sobre germinação e crescimento de plântulas de alface

Autores

  • Andressa Comiotto

DOI:

https://doi.org/10.18188/sap.v10i3.4349

Palavras-chave:

Alelopatia, Schinus terebinthifolius, Lactuca sativa

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar e descrever a influência de extratos aquosos de Schinus terebinthifolius Raddi sobre aquênios e crescimento de plântulas de alface cv. Branca de Boston. O extrato foi obtido a partir de espécimes coletadas no campus da UFPel. Os ensaios foram realizados em laboratório e as concentrações utilizadas foram zero, 50 e 100% de extratos aquosos de folhas (material vegetal fresco, p/v). Aquênios de alface cv. Branca de Boston foram colocadas para embeber por 60 minutos nas diferentes concentrações do extrato e após, realizados os seguintes testes: germinação, primeira contagem de germinação, índice de velocidade de germinação, comprimento das plântulas, massa fresca e seca e condutividade elétrica. Concluiu-se que o extrato exerce efeitos fitotóxicos negativos sobre os aquênios e no crescimento das plântulas de alface, nas duas concentrações do extrato utilizadas, sendo mais expressivo com aumento da concentração do extrato.

Downloads

Publicado

25-01-2012

Como Citar

COMIOTTO, A. Potencial alelopático de extratos aquosos de aroeira sobre germinação e crescimento de plântulas de alface. Scientia Agraria Paranaensis, [S. l.], v. 10, n. 3, p. p. 23–31, 2012. DOI: 10.18188/sap.v10i3.4349. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/4349. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos